Lucro do Instituto Agrário dos Açores insuficiente para equilíbrio financeiro


 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Mai de 2016, 10:42

O Instituto Regional de Ordenamento Agrário dos Açores (IROA) teve em 2015 lucros de 356 mil euros, valor insuficiente para o restabelecimento do equilíbrio financeiro da sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, segundo o parecer do fiscal único.

 

“Os resultados obtidos nos últimos anos não foram ainda suficientes para o restabelecimento do equilíbrio financeiro do IROA, que poderá ser prejudicado caso não ocorra a recuperabilidade integral dos ativos financeiros que apresentam uma razoável antiguidade”, refere o documento, que integra o relatório e contas 2015 da empresa, a que a agência Lusa teve hoje acesso.

Sediada na Ribeira Grande, em São Miguel, o IROA, que iniciou atividade em março de 2007, tem como principal missão a prestação de serviços no setor primário nas nove ilhas do arquipélago, a promoção do desenvolvimento sustentado do setor agrícola e a melhoria da competitividade da produção regional.

Segundo o mesmo parecer, “existem saldos devidos pela Região Autónoma dos Açores e Instituto de Financiamento da Agricultura (IFAP) que perfazem o montante de 2,3 milhões de euros que transitam de anos anteriores”, ainda que, no que se refere à dívida do IFAP, tenham ocorrido no ano passado “liquidações significativas”.

O documento adianta que a natureza da atividade exercida pelo IROA “depende exclusivamente” do financiamento resultante de contrato-programa com a região e dos fundos comunitários.

O relatório e contas de 2015 refere que neste ano a atuação da empresa “continuou a ser influenciada pelas indefinições europeias relativas aos programas reguladores do cofinanciamento comunitário”.

Nesse sentido, como a grande maioria da despesa “é, historicamente, referente a empreitadas de obras públicas e que o financiamento destas depende dos fundos comunitários”, o ano passado o IROA registou “um nível de execução aquém do inicialmente previsto”.

O mesmo relatório dá conta de que a despesa total efetuada em 2015 ascende a 2,4 milhões de euros, mais 2,9% do que no ano anterior, da qual 1,5 milhões de euros foram financiados por fundos regionais (ao abrigo de contratos programas celebrados com a região autónoma) e 902.260 euros por fundos comunitários.

Investimento em abastecimento de água (42,9%) e caminhos agrícolas (33,8%) são as duas principais despesas efetuadas em 2015 pelo IROA.

Quanto à despesa com o funcionamento desta sociedade anónima, em 2015 foram gastos 1,4 milhões de euros, menos 14% face a 2014, sendo que a maioria deste total diz respeito a juros e outros encargos (675 mil euros) e gastos com os 23 funcionários (676 mil euros).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.