"Low cost" começam a voar para a Terceira "a breve trecho"

"Low cost" começam a voar para a Terceira "a breve trecho"

 

LUSA/AO online   Regional   10 de Jul de 2015, 14:28

O líder do PSD/Açores afirmou hoje que as companhias aéreas "low cost" vão começar a viajar, "a breve trecho", também para a ilha Terceira, o que se traduzirá num "impacto muito significativo" para a economia local

"Penso que é seguro dizer-se que a breve trecho, e em pouco tempo, naturalmente, vamos ter a possibilidade de ter as “low cost” também na ilha Terceira”, afirmou Duarte Freitas aos jornalistas, em Angra do Heroísmo, sem adiantar mais pormenores.

A liberalização das ligações aéreas entre duas ilhas dos Açores (S. Miguel e Terceira) e o continente entrou em vigor a 29 de março.

Atualmente, apenas S. Miguel, a maior e a mais populosa ilha dos Açores, recebe voos das companhias aéreas de baixo custo Rayanair e easyJet.

Para o líder do maior partido da oposição na região, a chegada das “low cost” à ilha Terceira terá um “impacto muito significativo na hotelaria, restauração e em toda a economia da ilha”, assim como nas restantes ilhas que compõem o grupo central (Faial, Pico, Graciosa e S. Jorge), “como aliás já acontece” na ilha de S. Miguel.

Em junho, o Instituto Nacional de Estatística (INE) destacou o “aumento expressivo” das dormidas nos Açores (+20,7%) em abril, devido aos novos serviços de transporte aéreo, tendo os estabelecimentos hoteleiros açorianos registado no mesmo mês 99,6 mil dormidas, o que representa um acréscimo homólogo de 20,7%.

Também a Associação de Hotelaria de Portugal (AHP) divulgou recentemente dados relativos aos primeiros quatro meses do ano, em que destacou o crescimento de diversos indicadores nos Açores, referindo que o arquipélago já sentiu os benefícios da liberalização aérea.

A Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) já manifestou a sua preocupação perante os dados relativos ao turismo nas ilhas Terceira e Graciosa, defendendo a realização de voos charter para a Terceira.

"Os proveitos na ilha Terceira apresentaram quebras consideráveis no primeiro trimestre deste ano, mesmo apesar do ligeiro aumento de dormidas nesse período, traduzindo a situação angustiante do setor hoteleiro da ilha, obrigado a uma constante baixa de preços para captação de clientes", salientou, num comunicado emitido em junho, a direção da CCAH, que representa os empresários das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge.

Além das duas companhias aéreas “low cost”, também voam entre os Açores e o continente a SATA e a TAP.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.