Legislativas

Livre/Tempo de Avançar quer negócios sustentáveis nos Açores

Livre/Tempo de Avançar quer negócios sustentáveis nos Açores

 

Lusa/AO online   Regional   30 de Set de 2015, 15:14

O cabeça de lista da candidatura Livre/Tempo de Avançar pelos Açores, Pedro Alves, foi à Fábrica de Chá Gorreana, uma das duas únicas na Europa, para defender a concretização de negócios sustentáveis que reduzam a dependência exterior.

 

"No fundo, a ideia é pensar em empresas e negócios que consigam produzir a nível local tudo aquilo de que necessitam ao máximo. Por exemplo, na agricultura não estarem dependentes do que vem de fora, nomeadamente dos adubos e dos petroquímicos. Há coisas que se podem fazer ao nível de agricultura biológica que reduzem essa dependência", afirmou o candidato à Assembleia da República, em declarações à Lusa.

Pedro Alves visitou hoje, no concelho da Ribeira Grande, a Gorreana, que é a maior das duas fábricas de chá de São Miguel e que produz chá preto e verde, com 32 hectares de plantação, considerando que os moldes seguidos pela fábrica podiam "ser adotados" em muitos outros projetos nos Açores.

"Este é um projeto que tem algumas particularidades interessantes, sobretudo ao nível da sustentabilidade energética, porque eles produzem a sua própria energia elétrica e quando muitas produções de chá fecharam eles conseguiram sobreviver exatamente por isso", salientou, defendendo que a matéria-prima e tudo o seja necessário à produção deve ser local, deixando riqueza no arquipélago, potenciando a criação de postos de trabalho e aumentando a qualidade dos produtos, com benefícios para a saúde.

Quanto à campanha, o cabeça de lista pelos Açores disse que "tem corrido bem", tanto mais que se trata de "um partido com poucas possibilidades e sem apoios como têm os grandes partidos".

"Mas temos uma equipa bastante motivada e com muita vontade para que no dia 04 de outubro haja uma diferença e para que não sejam mais quatro anos de arrependimento", declarou Pedro Alves.

A campanha tem passado sobretudo pelas ilhas de São Miguel e Terceira, tendo o candidato frisado que nota "um cansaço" do eleitorado perante estratégias de marketing político que deixam as pessoas confusas.

"Há muito este sentimento de que já não vale a pena votar e o nosso trabalho é mostrar um pouco às pessoas que vale a pena votar e a luta é também a partir do dia 04", disse Pedro Alves.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.