Líderes nacionais dos partidos nos Açores, PSD ainda não decidiu

Regional /

999 visualizações   

Os líderes nacionais do PS, CDS-PP, BE e PCP irão aos Açores nas próximas semanas, não estando ainda decidida a participação do presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, na campanha para as eleições regionais de 16 de outubro.
 

 

Fonte oficial do PSD adiantou à agência Lusa que o partido "não tem neste momento um calendário definido sobre a presença de figuras nacionais na campanha para as eleições regionais dos Açores", não estando por isso definida a ida do presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho.

De acordo com a mesma fonte, Passos Coelho esteve no final de agosto em "várias iniciativas de pré-campanha, onde deixou em aberto a possibilidade de regressar" aos Açores.

No caso do secretário-geral do PS, até hoje só está agendada a ida de António Costa no período da pré-campanha, participação que decorre na sexta-feira e no sábado, mas fonte oficial socialista disse à Lusa que não está afastada a possibilidade de o secretário-geral regressar em período de campanha eleitoral.

Segundo o PS/Açores, na sexta-feira, Costa participa num jantar comício na ilha de S. Miguel e, no dia seguinte, estará na ilha Terceira, em ações de pré-campanha ao longo do dia, que culminando com um jantar comício.

Também na sexta-feira e no sábado o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, voa até aos Açores para entrar na pré-campanha da CDU (coligação PCP/PEV).

Na sexta-feira, participa num jantar comício no Faial e no sábado num encontro regional para apresentação do programa eleitoral, que decorre em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

Jerónimo de Sousa regressará ao arquipélago já em período oficial de campanha para as eleições legislativas regionais - marcadas para 16 de outubro.

A 08 de outubro o secretário-geral comunista estará na Terceira, onde vai participar em algumas ações de campanha e num jantar comício.

À agência Lusa, Martinho Baptista, responsável da organização regional do PCP/Açores e membro do comité central, explicou que objetivo eleitoral para as regionais de 16 de outubro é "o crescimento da CDU do ponto de vista da sua votação e também da eleição de mais deputados".

"Pretendemos este crescimento eleitoral para concorrer a um objetivo que é procurar que não haja maiorias absolutas e que haja condições para uma maior possibilidade de distribuição de deputados que permita que haja mais partilha de intervenção", explicou Martinho Baptista.

A líder que estará mais dias nos Açores é a do BE, Catarina Martins, - cinco -, dividindo-se por quatro ilhas: Faial (01 de Outubro), Pico (02 de Outubro), Terceira (07 de Outubro) e São Miguel (08 e 09 de Outubro).

Fonte oficial bloquista avançou à Lusa que "o objetivo central do BE é o reforço da sua representação" e que isso "passa certamente pela eleição de um grupo parlamentar", já que atualmente têm apenas um deputado na Assembleia Legislativa dos Açores.

Para além de Catarina Martins estarão na campanha as dirigentes Mariana Mortágua (sexta-feira, em Santa Maria), Marisa Matias (29 e 30 Setembro, na Terceira) e Joana Mortágua (09 Outubro, em São Jorge).

"O BE tem sido crítico da governação do PS na região. Os Açores são hoje uma região com enormes desigualdades sociais, na qual a política de parcerias do governo regional se traduz na promiscuidade entre interesses públicos e privados", criticou a mesma fonte.

Pelos centristas, está prevista a deslocação da líder Assunção Cristas por três vezes durante o período oficial de campanha, não estando ainda definido o calendário final, de acordo com fonte oficial do CDS-PP.

O porta-voz do CDS-PP, João Almeida, começou por ressalvar à Lusa que o partido respeita a autonomia e que a direção nacional partilha os objetivos e apoia a estratégia do CDS-PP/Açores.

"Esperamos um resultado que nos permita manter a presença de eleitos em várias ilhas e vamos lutar pela eleição de novos deputados para poder retirar a maioria absoluta ao PS", revelou, considerando que é preciso "mudar a realidade política dos Açores que está estagnada há vários anos".

As eleições regionais dos Açores estão marcadas para 16 de outubro, sufrágio ao qual se apresentaram 13 forças políticas, mas nem todas concorrem por todos os círculos eleitorais, o que origina boletins eleitorais distintos em cada círculo.

O PS governa os Açores há 20 anos, arquipélago onde há nove círculos eleitorais, coincidentes com cada uma das ilhas, e um círculo regional de compensação (que junta os votos que não permitiram eleger deputados nos círculos de ilha).

O PS tem 31 dos 57 lugares na Assembleia Legislativa dos Açores, enquanto o PSD, o maior partido na oposição, conquistou 20 mandatos. O CDS-PP tem três deputados no parlamento regional, enquanto BE, PCP e PPM conseguiram um mandato cada.