Líder regional do PS considera propostas socialistas fator de esperança

 Líder regional do PS considera propostas socialistas fator de esperança

 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Set de 2016, 14:07

O líder do PS/Açores considerou hoje que o partido apresenta às eleições regionais de outubro propostas que constituem "um fator de esperança", frisando que, apesar do O líder do PS/Açores considerou hoje que o partido apresenta às eleições regionais de outubro propostas que constituem "um fator de esperança", frisando que, apesar do "muito que foi feito" na governação socialista, "há muitos desafios pela frente".

“Nós apresentamos esta lista, não por aquilo que já fizemos. Aquilo que já fizemos é um fator importante de confiança no PS, mas, sobretudo as propostas que temos apresentado, e que continuaremos a apresentar neste período, são (…) um fator de esperança naquilo que temos e naquilo que propomos fazer pelos Açores e pelos açorianos”, disse Vasco Cordeiro, após a entrega da lista de candidatos pelo círculo de São Miguel e pelo círculo regional de compensação no tribunal de Ponta Delgada.

Vasco Cordeiro, que é cabeça de lista do PS por São Miguel, sustentou que a sua ambição é “que os açorianos possam ajuizar bem” o projeto dos socialistas e que o partido seja “capaz de explicar bem as propostas que tem para os açorianos”.

Acompanhado pelo mandatário regional da candidatura, Carlos César, que é também presidente honorário do PS/Açores e líder parlamentar dos socialistas na Assembleia da República, Vasco Cordeiro sublinhou que as listas demonstram, “de forma muito clara”, a capacidade que o partido tem demonstrado “ao longo do tempo de ser (…) uma grande força impulsionadora de um movimento na sociedade açoriana, chamando à participação aqueles que não têm filiação partidária, aqueles que, no fundo, encontram no PS o grande espaço de contributo de propositura de ajudar os Açores”.

Sublinhando o trabalho desenvolvido pelo executivo socialista nos Açores e “os desafios vencidos nos últimos anos”, Vasco Cordeiro, que é também presidente do Governo Regional, disse que é preciso “continuar a desenvolver políticas sociais que ajudem as famílias açorianas, sobretudo aquelas que estão numa situação de maior fragilidade", políticas que “possam ajudar as empresas e a economia a criar emprego mais seguro” e mais bem remunerado.

“Somos nós que pensamos que este trabalho ainda está a meio. Esta componente é algo que pomos à consideração dos açorianos e aquilo que sabemos é que, obviamente, não nos damos por satisfeitos por no primeiro trimestre de 2014 termos tido uma taxa de desemprego de 18% e hoje, segundo trimestre de 2016, termos 11%. É positivo, mas queremos mais nesta área. Queremos fazer mais nesta área de forma a continuarmos a criar emprego e, assim, num conjunto de outros setores que têm uma evolução ao longo destes anos notável, mas que ambicionamos fazer ainda mais”, defendeu.

Nos Açores, onde o PS governa há 20 anos, existem nove círculos eleitorais, coincidentes com cada uma das ilhas, e um círculo regional de compensação.

Nas últimas eleições regionais, em 2012, o PS conquistou 31 dos 57 lugares do parlamento regional, enquanto o PSD obteve 20 mandatos. O CDS-PP tem três deputados, enquanto BE, PCP e PPM conseguiram um mandato cada.

O círculo de São Miguel vai eleger no sufrágio de 16 de outubro 20 deputados, mais um do que em 2012.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.