Líder PSD/Açores diz que taxas de execução orçamental são "miseráveis"

Líder PSD/Açores diz que taxas de execução orçamental são "miseráveis"

 

LUSA/AO online   Regional   6 de Nov de 2015, 13:20

O presidente do PSD/Açores afirmou hoje que o Governo Regional socialista "fechou o terceiro trimestre de 2015" com taxas de execução orçamental "miseráveis de 42%", sublinhando que grande parte não foi conseguida com investimentos novos

"Não podemos pactuar com taxas de execução orçamental miseráveis, de 42%, como estam com que o Governo fechou o terceiro trimestre de 2015. Isto quer dizer que prometem fazer e não cumprem. Isto quer dizer que investem em palavras e não em investimento produtivo”, afirmou Duarte Freitas, acrescentando que “a média nos últimos anos da taxa de execução anda nos 75%”.

O líder regional do PSD falava numa conferência de imprensa, em Ponta Delgada, sobre o Plano e Orçamento para 2016, afirmando ainda que, “boa parte das vezes, aquilo que é executado não tem a ver com obra nova", mas "com o pagamento de obra já feita", referindo o caso das SCUT em S.Miguel e do "Hospital de Angra do Heroísmo", na Terceira.

Para o presidente do PSD/Açores, “a falta de estratégia e de políticas consequentes não se pode corrigir no último ano de um mandato de quatro” e disse ainda que "muitas das promessas" do Governo regional socialista "não têm sido cumpridas".

"Contudo, face à difícil realidade que nos atinge, o Plano e Orçamento para o próximo ano deveria, pelo menos, constituir um esforço para concretizar uma aposta clara nas condições para a criação de emprego, na melhoria significativa do acesso dos cidadãos aos cuidados de saúde, no investimento no transporte inter-ilhas, no combate ao insucesso escolar, assim como a difícil situação que atravessa a lavoura açoriana", defendeu.

Duarte Freitas disse que o PSD/Açores vai apresentar na Assembleia Legislativa propostas de alteração à proposta de Plano e Orçamento para 2016, mas não avançou pormenores, afirmando que na próxima semana os deputados social-democratas reúnem-se em jornadas parlamentares, em Ponta Delgada, S.Miguel.

À semelhança do que aconteceu em 2014, Duarte Freitas concluiu recentemente um périplo pelas nove ilhas para auscultar a população sobre o Plano e Orçamento e disse ter contactado com “centenas de pessoas e parceiros sociais” que lhe identificaram "problemas e prioridades", frisando que notou "mais gente a participar" que identificaram necessidades em setores como a saúde, emprego, transportes e agricultura.

O Plano do Governo para 2016 tem um valor total de 782 milhões de euros.

As propostas de Plano e o Orçamento do Governo dos Açores serão discutidas e votadas no Parlamento regional no plenário agendado para 24, 25 e 26 de novembro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.