Líder PSD/Açores diz que coesão social e territorial estão em causa

Líder PSD/Açores diz que coesão social e territorial estão em causa

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Abr de 2015, 06:24

O líder do PSD/Açores afirmou, na quinta-feira à noite, que a coesão social e territorial "estão em causa" e que, após 20 anos de "insucesso de políticas" socialistas, os social-democratas são chamados a resgatar as ilhas.

 

“Neste momento, tanto a coesão territorial como a coesão social estão em causa e é, por isso, que de novo renovado e indo buscar as forças, ideias e convicções à ideologia social-democrata, o PSD/Açores é chamado para resgatar os Açores (…) de 20 anos de insucesso de políticas”, afirmou Duarte Freitas, numa crítica direta à governação socialista nas ilhas.

O líder do PSD/Açores falava no âmbito da cerimónia de encerramento dos 40 anos do partido, que contou com a presença do fundador do PSD nacional, Francisco Pinto Balsemão, do secretário-geral do PSD, José Matos Rosa e do presidente honorário do PSD/Açores, Mota Amaral.

As comemorações dos 40 anos do PSD/Açores iniciaram-se a 25 de abril de 2014 e percorreram desde então as sedes do partido nos 19 concelhos da região.

Segundo disse Duarte Freitas a autonomia trouxe aos Açores a coesão territorial e a social-democracia objetivou a coesão social nas ilhas, um legado que "está agora posto em causa".

“Os números não mentem. Não são números do PSD/Açores são da estatística, mas o pior não é isso. É que por detrás dos números estão pessoas, crianças que vão para a escola sem pequeno almoço”, referiu Duarte Freitas, acrescentando que na região 70% dos agregados familiares vivem com menos de 500 euros mensais.

Para Duarte Freitas o poder socialista nos Açores está “esgotado e cansado”, defendendo que a região precisa de um novo ciclo governativo e um novo paradigma, já que "a solução não passa por atirar dinheiro para os problemas”.

“Como é que é possível que em 20 anos de estabilidade governativa, de paz social, de enormes fluxos financeiros que vêm de Bruxelas, de Lisboa, do aumento da receita fiscal como é possível chegarmos ao fim de 20 anos e termos as maiores taxas de desemprego do país, a maior taxa de insucesso escolar do país, a maior taxa de abandono escolar do país, a maior taxa de risco de pobreza do país”, questionou Duarte Freitas.

O líder do maior partido da oposição insistiu que a prioridade dos social-democratas nos Açores é o social e que retirar 40 mil pessoas da pobreza “não foi mera promessa”, feita no discurso de encerramento do último congresso regional do partido em março.

Para Duarte Freitas só mudar de governo por mudar não serve, só ganhar eleições por ganhar não deve ser o objetivo, defendendo antes que o PSD/Açores deve vencer as eleições regionais de 2016 por "ser alternativa e apresentar um novo paradigma de desenvolvimento para o arquipélago".

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.