Líder do PSD/Açores responsabiliza Vasco Cordeiro por problemas nos transportes marítimos


 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Jun de 2015, 13:45

O líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, acusou hoje o presidente do Governo Regional, o socialista Vasco Cordeiro, de ser "o primeiro responsável" pelos problemas com os transportes marítimos na região.

"O primeiro responsável pelo que se está a passar nos transportes marítimos nos Açores é o presidente do Governo [Regional]. Não só porque lidera o executivo, mas também, e em especial, porque foi o responsável da Secretaria da Economia na altura em que todos estes projetos foram lançados", disse Duarte Freitas aos jornalistas no cais do porto de São Roque do Pico.

Para Duarte Freitas, "essa responsabilidade política" de Vasco Cordeiro, "que não é assumida, só pode ter uma consequência": "Os açorianos começarem a ter consciência de que não podem ter um Governo e um presidente do Governo que se desresponsabiliza de tudo e que se julga impune perante a sua governação".

O presidente do PSD/Açores disse, no entanto, que não está em causa a demissão de Vasco Cordeiro por causa dos transportes marítimos.

"O presidente do Governo não se deve demitir. Os açorianos é que devem tomar consciência desta impunidade, deste sentimento de desresponsabilização, desta maneira de governar que já não respeita e não ouve as pessoas. Devem tomar essa consciência e, na altura certa, tomar uma opção de voto alternativa", acrescentou.

Vasco Cordeiro anunciou uma "revolução silenciosa" nos transportes marítimos dos Açores em 2010, quando era secretário regional, e falou em "revolução tranquila" no setor em 2012, já como presidente do executivo, lembrou Duarte Freitas, que considera que o porto de São Roque do Pico é "um bom espaço" para "denunciar que não houve qualquer revolução".

"E muito menos tranquilos estamos", disse o social-democrata, no local onde, em novembro de 2014, ocorreu um acidente mortal com um barco da empresa pública Transmaçor.

Um passageiro do barco morreu ao ser atingido por um cabeço de amarração que rebentou quando o navio tentava atracar.

Um relatório do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Marítimos divulgado esta semana concluiu que o acidente ficou a dever-se a uma série de fatores, nomeadamente, a "ausência continuada de manutenção" dos cabeços de amarração ("ao longo dos mais de 30 anos de existência e trabalho dos cabeços"), a utilização de cabos de amarração "sobredimensionados" e a forte ondulação.

Depois de ser conhecido o relatório, o secretário regional dos Transportes dos Açores, Vítor Fraga, disse que a região está a reforçar as condições de segurança nos portos e descartou responsabilidades políticas ou algum tipo de negligência.

Já Vasco Cordeiro disse que a “responsabilidade política” do executivo é “fazer tudo” para que a situação não se volte a repetir.

O presidente do PSD/Açores disse hoje que há também, da parte do Governo Regional, "sucessivos incumprimentos de promessas", apontando o caso do novo terminal de passageiros prometido para São Roque do Pico.

Numa visita à ilha esta semana, Vasco Cordeiro voltou a dizer que um segundo anteprojeto para esse terminal está em fase de testes, depois de o primeiro ter sido descartado na sequência dos testes que foram feitos.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.