Líder do PS/Açores lamenta que país "teimosamente" insista na austeridade

Líder do PS/Açores lamenta que país "teimosamente" insista na austeridade

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Out de 2014, 13:03

O presidente do PS/Açores e do Governo Regional, Vasco Cordeiro, lamentou hoje que o país, "teimosamente", persista na mera austeridade, dizendo que faltam "claramente" medidas direcionadas para o crescimento económico.

 

Vasco Cordeiro falava em Ponta Delgada, como presidente do PS/Açores, na abertura das jornadas da bancada socialista no parlamento regional, dedicadas ao plano de investimento público e orçamento para 2015 do executivo açoriano.

Estes documentos, sublinhou o líder do PS regional, reforçam "os instrumentos que podem fomentar a recuperação económica" nas ilhas, dão uma "atenção redobrada" aos apoios sociais e fazem "a defesa" do "ativo valiosíssimo que os Açores têm", que é o "equilíbrio" das suas contas públicas.

"Tudo isto é feito numa conjuntura nacional em que teimosamente se persiste em medidas de austeridade que tornam ainda mais difícil e exigente o trabalho que aqui fazemos nos Açores", disse Vasco Cordeiro, insistindo que "a conjuntura e as políticas desenvolvidas pelo Governo da República pesam muito na situação das famílias e das empresas dos Açores".

Para o presidente do executivo açoriano, o país vive "uma conjuntura em que claramente o que faltam são medidas direcionadas para o crescimento económico, para a criação de emprego", para que a economia nacional ("a economia de referência" dos Açores) possa criar condições que ajudem a região a ultrapassar a situação atual.

"Não nos perguntemos apenas se estamos ou não a ser afetados por uma situação de crise. A pergunta é se temos ou não um governo aqui nos Açores que até ao limite das suas competências e dos seus recursos está a trabalhar para ultrapassar essa situação e aumentar o apoio às famílias e às empresas", afirmou, considerando que o aumento em 11% do investimento público regional ou das dotações para os apoios à infância, juventude e terceira idade, em 2015, ajudam a responder a essa questão.

A nível regional, destacou que o plano de investimento para 2015 se insere numa "conjuntura em que é possível salientar a resolução de alguns aspetos" que contribuem também para a "revitalização" da economia do arquipélago: a liberalização das ligações aéreas ao continente, o desbloqueamento de processos de empreendimentos turísticos que estavam parados há anos ou os "sinais muito interessantes" de recuperação do setor cooperativo nas ilhas do Pico e de São Jorge.

Vasco Cordeiro saudou o grupo parlamentar do PS por, tal como o executivo regional, e apesar da maioria absoluta que tem na assembleia açoriana, ter optado, mais uma vez, pelo "diálogo" com parceiros sociais e outras entidades, na procura "de contributos" para o debate dos documentos orçamentais que levem "à construção de soluções" que resultem "em benefício dos açorianos".

"Porque há outras formas de exercer e exercitar este diálogo. E nós temos presenciado essas formas na atualidade política regional. Há também uma forma de exercitar o diálogo que é apenas o de legitimar de outra forma a crítica permanente e destrutiva", considerou.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.