Leirimetal vai construir a maior fábrica de tijolos e telhas da América Latina


 

Lusa/AO Online   Internacional   8 de Jun de 2010, 18:45

A Pdvsa-Industrial, uma filial da estatal Petróleos da Venezuela S.A. (Pdvsa) e a portuguesa Leirimetal iniciaram os trabalhos de construção da maior fábrica de tijolos simples, maciços e de telhas da América Latina, um complexo de 222 milhões de euros que servirá de modelo para a criação de outras oito fábricas em diversas partes do país.

“O nosso comandante e chefe (Hugo Chávez, presidente da República), aprovou que não seja somente um complexo industrial mas que sejam nove. É um projeto mais ambicioso que busca construir complexos tecnológicos fabris que permitam solucionar rapidamente o problema de habitação”, disse o diretor do setor de consumos básicos da Pdvsa-Industrial.

Valmore González falava à Agência Lusa, em Caracas, onde explicou que a primeira etapa do projeto ronda os “560 milhões de bolívares fortes, à volta de 266 milhões de dólares (222 milhões de euros)” e que o primeiro complexo cerâmico está a ser construído em Zaraza, no Estado venezuelano de Guárico (200 quilómetros a sudoeste de Caracas), estimando-se que “em ano e meio estejam fabricando os primeiros tijolos”.

“Constituímos uma empresa mista (capitais públicos e privados) com a Pdvsa Industrial e Leirimetal, que vai permitir não só o processo de construção e desenho da fábrica, mas a operar. Cada complexo industrial consta de três fábricas, uma de tijolos, uma de telhas e uma de tijolos maciços”, explicou.

Aquele responsável vincou ainda que “existe a maior disposição dos dois países (Venezuela e Portugal) para trabalhar conjuntamente, não só neste projeto mas também noutros”.

Segundo dados a que a Agência Lusa teve acesso, a Pdvsa descobriu na zona vastos depósitos de argila e estima que a produção anual da fábrica atinja 73 milhões de tijolos, 20 milhões de tijolos maciços e cerca de 36 milhões de telhas.

Para a Pdvsa-Industrial trata-se de um projeto tecnológico, que gerará 300 empregos diretos por cada fábrica, aproveitando o uso da argila, que, segundo investigações locais, é “rica” em componentes e permite a construção de tijolos de alta qualidade.

A empresa estatal realizou, com sucesso, trabalhos de identificação de minas de argila nos Estados venezuelanos de Anzoátegui, Barinas, Falcón, Monágas, Yaracuy e Trujillo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.