Lajes: PSD e CDS trazem "maior problema ambiental" dos Açores ao parlamento

Lajes: PSD e CDS trazem "maior problema ambiental" dos Açores ao parlamento

 

Lusa/AO online   Regional   21 de Fev de 2018, 16:37

PSD e CDS-PP apresentaram esta quarta-feira no parlamento açoriano dois projetos de resolução sobre o processo de descontaminação de solos e aquíferos na ilha Terceira, o maior problema ambiental da região, vincaram ambos os partidos.

"Alguém tem dúvidas que esta é uma causa nacional? É o futuro que está em jogo", declarou o deputado social-democrata César Toste, apresentando o projeto de resolução do PSD em plenário da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores (ALRAA).

Para Artur Lima, parlamentar do CDS-PP, o problema ambiental das Lajes "constitui o maior paradigma da incapacidade de atuação dos diferentes níveis da administração regional e nacional".

"Quase uma década depois das primeiras notícias e do começo de uma inação inqualificável do conjunto do nosso poder político democrático, nada foi feito perante o problema de saúde pública mais grave que jamais enfrentámos na história da nossa democracia", prosseguiu o líder dos centristas nos Açores.

Pelo PS, o deputado Francisco Coelho procurou perceber se PSD e CDS-PP acham que a "responsabilidade" da situação é da região ou da República, com a bloquista Zuraida Soares a acusar o poder central de "branqueamento, silenciamento, desresponsabilização".

"O Bloco de Esquerda acompanha em definitivo o teor das duas iniciativas no sentido de solicitar a esta casa que se pronuncie, exigindo ao Governo da República Portuguesa a reparação dos danos ambientais causados pelas forças norte-americanas estacionadas na base das Lajes", assinalou a deputada.

Recentemente, o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, sublinhou o "novo impulso" trazido pelo embaixador dos Estados Unidos da América (EUA) na questão da descontaminação ambiental na ilha Terceira devido ao uso militar das Lajes.

Há, diz o líder do executivo açoriano, a "necessidade de corrigir uma situação que deriva da presença norte-americana na base das Lajes", sendo que a "preocupação principal do Governo Regional tem a ver com questões de saúde pública".

Vasco Cordeiro reiterou esperar no final do primeiro semestre ou na próxima reunião da Comissão Bilateral Permanente, o que suceder primeiro, "resultados e evidências quanto ao trabalho que está a ser feito" no que refere à descontaminação.

Recentemente, na Assembleia da República, o ministro dos Negócios Estrangeiros afastou preocupações sobre a eventual contaminação da água na ilha Terceira, mas o Governo quer ver esclarecida a situação de alguns terrenos.

A "monitorização constante" que o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) faz demonstra que "não há nenhum limiar de segurança em matéria de qualidade de água abastecida à Praia da Vitória que tenha sido violado ou infringido ou superado", disse no parlamento Augusto Santos Silva, ouvido na comissão de Ambiente sobre a descontaminação ambiental na base das Lajes.

Quanto à contaminação dos solos, a Força Aérea norte-americana e o LNEC identificaram 41 locais para análise, tendo sido referenciados quatro sítios contaminados.

O Governo dos Açores informou que já fez chegar ao parlamento da região o relatório do LNEC de monitorização de água no concelho da Praia da Vitória.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.