Web Summit

Kasparov diz que Inteligência Artificial facilita vida aos humanos mas também cria problemas

Kasparov diz que Inteligência Artificial facilita vida aos humanos mas também cria problemas

 

Lusa/AO online   Nacional   8 de Nov de 2017, 13:30

O antigo campeão mundial de xadrez Garry Kasparov considerou hoje que apesar de a Inteligência Artificial facilitar as vidas aos humanos também cria problemas, defendendo que somos nós que escolhemos o uso que damos aos dispositivos tecnológicos.


"É fácil assustar as pessoas falando nos 'terminators' e no 'matrix' mas cabe-nos a nós impor os limites às máquinas", disse o xadrezista, atual embaixador de Segurança da Avast, multinacional que desenvolve 'software' antivirus, durante uma conferência sobre "Inteligência Artificial - Ameaça ou Oportunidade?", na Web Summit.

Há exatamente vinte anos, o antigo campeão de xadrez foi derrotado pelo computador Deep Blue, da IBM, que em 11 de maio de 1997 entrava para a história como a primeira máquina a derrotar um campeão mundial da modalidade, disputa que Kasparov recordou durante a conferência.

Para Kasparov, "infelizmente é natural" que sejamos "espiados de todos os cantos", embora o queiramos evitar, razão pela qual devemos "combinar a inteligência humana e a memória das máquinas para nos protegermos" contra as ameaças das novas tecnologias, nomeadamente no que respeita à proteção e segurança de dados.

"Devemos parar de chorar pelo facto de a nossa informação ser recolhida, pois nunca vamos desistir destes aparelhos", referiu, notando que existe uma diferença entre os nossos dados "serem recolhidos pelo Google ou Facebook, nos Estados Unidos, ou por ferramentas semelhantes na Rússia ou na China".

Kasparov insistiu no facto de que o "poder destas ferramentas continua a crescer e não podemos pará-lo", sublinhando que é necessário certificarmo-nos de que a informação recolhida será protegida e não será usada para o mal.

"Tenho tentado estar no lado otimista, se não conseguirmos vencê-las [as novas tecnologias], juntamo-nos a elas", defendeu, observando que "a única solução para os problemas causados pela tecnologia de hoje é a tecnologia de amanhã".

Segundo Ondrej Vlcek, administrador com o pelouro da Tecnologia na Avast, a multinacional já chegou a travar 3,5 biliões de ataques de "malware" apenas num mês.

"A inteligência artificial pode ser usada para fins defensivos, mas ao mesmo tempo é uma verdadeira ameaça quando começa a ser usada pelos atacantes", concluiu.

A conferência de tecnologia e empreendedorismo Web Summit decorre até quinta-feira, no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa.

Segundo a organização, nesta segunda edição do evento em Portugal, participam 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, duas mil 'startups', 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.