Julgamento de rede internacional de tráfico de droga começa terça-feira

Julgamento de rede internacional de tráfico de droga começa  terça-feira

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Jul de 2016, 12:14

O Tribunal Judicial de Ponta Delgada, começa a julgar na terça-feira uma alegada rede de tráfico internacional de cocaína, envolvendo cinco homens acusados dos crimes de tráfico agravado e associação criminosa.

Segundo o despacho de acusação, a que a Lusa teve hoje acesso, a organização - que integrava um grupo de homens do Brasil e Portugal - demonstrou estar "estruturada para transportar elevadas quantidades de cocaína da América Latina" para "introdução no mercado europeu, onde o produto estupefaciente em causa é transacionado por “valores manifestamente superiores”.

Alguns dos arguidos estavam ligados às atividades náuticas, sendo que um deles era gerente de uma empresa de serviços navais, com sede na Nazaré, distrito de Leiria, havendo ainda um ‘skipper’ de profissão e um arguido experiente para navegar "em situações adversas" no mar, refere o documento.

Segundo a acusação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), a ideia era que o produto fosse transportado por via marítima para a Europa, através de embarcações adquiridas para o efeito, e, posteriormente, vendido no mercado europeu, enquanto os elementos da alegada organização pretendiam angariar contrapartidas monetárias.

O plano passava por levar até ao Brasil um veleiro a motor, que tinha sido adquirido em Itália, a 14 de maio de 2014, pelo gerente da empresa naval da Nazaré.

A acusação refere que o propósito era carregar o barco com cocaína e trazê-la para a Europa, mas havia primeiro que "recrutar pessoas que tivessem licença de tripulação de embarcações e conhecimentos técnicos e marítimos, aprofundados", que conhecessem bem o trajeto marítimo a percorrer.

Em junho de 2015, o veleiro foi carregado com cocaína no Brasil e, posteriormente, começou a travessia no Atlântico, sendo que a 13 de agosto acabaria por ser intercetado a 175 milhas a sul da ilha de São Miguel pela corveta da Marinha onde estavam inspetores da Polícia Judiciária.

A bordo da embarcação encontravam-se 327,4 quilogramas de cocaína.

A investigação refere que "na travessia do Atlântico o veleiro deparou-se com condições atmosféricas adversas" e "sofreu danos" na vela e mastros, pelo que os dois tripulantes decidiram rumar na direção do arquipélago dos Açores.

O despacho adianta que aqueles dois arguidos chegaram mesmo a equacionar atirar a droga ao mar e pedir por socorro caso as condições atmosféricas não melhorassem.

Dois dos elementos da alegada rede foram detidos nos Açores e os outros três no continente, encontrando-se todos em prisão preventiva.

O julgamento tem início previsto para as 09:30 (mais uma hora em Lisboa).

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.