Jon Irabagon e Matt Wilson no festival AngraJazz nos Açores


 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Jul de 2017, 17:42

O saxofonista Jon Irabagon e o baterista Matt Wilson, dos Estados Unidos, são os cabeças de cartaz da 19.ª edição do festival AngraJazz, que decorre de 04 a 07 de outubro, em Angra do Heroísmo, nos Açores.


“O AngraJazz é hoje um festival perfeitamente consolidado no panorama do jazz em Portugal. Toda a gente em Portugal que tenha o mínimo de ligação ao jazz sabe que existe o AngraJazz e gostava de poder vir ao AngraJazz”, salientou José Ribeiro Pinto, presidente da Associação Cultural AngraJazz, que organiza o festival, na conferência de imprensa de apresentação do cartaz.

Como já é tradição, o festival abre com a Orquestra AngraJazz, composta por músicos locais e dirigida por Pedro Moreira e Claus Nymark, na quarta-feira, dia 04 de outubro.

Na primeira noite, atua também o duo do francês Baptiste Trotignon, ao piano, com o argentino Minimo Garay, nas percussões.

Para quinta-feira está agendado um concerto de homenagem a Thelonious Monk, no ano em que se comemora o centenário do seu nascimento, pelo quinteto do trompetista Charles Tolliver.

A sexta-feira abre com os portugueses Ensemble Super Moderne e termina com o quarteto do baterista norte-americano Matt Wilson.

O festival encerra no sábado com o quinteto da cantora e violinista cubana Yilian Cañizares, seguido do quarteto do saxofonista norte-americano Jon Irabagon.

Há vários anos que a organização defende que o AngraJazz pode ser um cartaz turístico da ilha Terceira e propõe a realização de eventos paralelos ao festival para que seja possível criar pacotes promocionais de uma semana.

“Já há pessoas, há alguns anos, que vêm de propósito ao AngraJazz, não só do continente, como das outras ilhas também. Nós pensamos que cerca de 15% das pessoas já vêm de fora”, adiantou José Ribeiro Pinto.

Este ano, na sequência de um repto lançado pela direção regional da Cultura, o festival inclui também concertos no centro da cidade, entre 28 de setembro e 07 de outubro, com as bandas da ilha Terceira Wave Jazz Ensemble e Sara Miguel Quarteto, e o duo madeirense Mano a Mano.

“Fazemos nove concertos de sexta-feira a sábado da semana seguinte em cafés, bares, restaurantes, hotéis e na biblioteca pública”, explicou o responsável da organização.

No próximo ano, a Associação Cultural AngraJazz quer divulgar o festival na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) e, nesse sentido, lançou um desafio à Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo para que crie atividades complementares ao evento nessa semana.

“Todas as entidades têm de estar envolvidas no processo e têm de ter capacidade de resolver mais cedo, porque a gente tem de ter um cartaz pronto para levar à BTL”, salientou.

Para a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, que é um dos patrocinadores do festival, o AngraJazz é um trunfo na promoção do concelho.

“É sem dúvida uma mais-valia para Angra e é uma maneira de projetarmos Angra para o exterior através da sua cultura e do bom que se faz, especialmente nesta área do jazz”, salientou a vereadora Raquel Ferreira.

Com um orçamento de 115 mil euros, os ingressos diários para o festival variam entre os 10 e os 18 euros, enquanto o pacote para os quatro dias custa entre 30 a 50 euros, havendo ainda bilhetes promocionais, a cinco euros, para jovens e seniores.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.