Jerónimo de Sousa defende reavaliação das quotas leiteiras

Jerónimo de Sousa defende reavaliação das quotas leiteiras

 

LUSA/AO online   Nacional   15 de Jul de 2016, 19:31

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje a necessidade de uma reavaliação das quotas leiteiras, considerando que PS, PSD e CDS têm "um certo peso na consciência" nesta matéria

"Era preciso uma reavaliação e uma reconsideração em relação à questão das quotas leiteiras”, afirmou Jerónimo de Sousa, após uma reunião com elementos Associação dos Jovens Agricultores do Faial, nos Açores, onde alertou para a importância da atividade na região e “as consequências económicas que poderiam advir do encerramento de muitas unidades produtivas”.

Aos jornalistas, o dirigente comunista considerou ser inaceitável que dos poucos setores em que o país é autossuficiente e “o único setor que pode garantir o escoamento da produção, tem aqui uma dificuldade incontornável, que é a política das grandes superfícies” e “uma certa desresponsabilização do Estado”.

“Com o fim das quotas leiteiras, nós hoje temos um problema que é o compromisso assumido pelo PSD, pelo PS e pelo CDS na abolição das quotas, digamos que têm um certo peso na consciência e, por isso, não agem, do nosso ponto de vista, em conformidade”, salientou.

Para Jerónimo de Sousa, a União Europeia geriu mal este processo.

“Decidiram abolir as quotas e falaram na necessidade de uma aterragem suave depois do fim das quotas, a verdade é que, no plano da monitorização, no plano da regulação, não surgiu nada que desse garantias de continuidade deste setor tão importante que é o setor leiteiro”, frisou o dirigente comunista.

Segundo o secretário-geral do PCP, o país não tem que aceitar as imposições da União Europeia.

“Temos que procurar do ponto de vista nacional corresponder àquilo que todos proclamam, que é a necessidade de mais crescimento e mais desenvolvimento económico, produzir mais riqueza para criar mais emprego”, referiu, notando que, “quando há um caso concreto onde isso era possível”, assiste-se “a esta incerteza que tanto preocupa quem trabalha no setor”.

Para Jerónimo de Sousa, é igualmente necessário “impedir que as grandes superfícies usem e abusem das promoções para meter leite estrangeiro nas suas prateleiras”, que é resultado “de excedentes de países, designadamente de países do norte, da Alemanha, da Polónia, dos países nórdicos”.

“É evidente que quem entra no supermercado vê o leite mais barato compra esse leite”, declarou, sustentando, contudo, que “arruína a produção nacional”.

Para Jerónimo de Sousa, se um dia acabasse a produção nacional, os preços subiriam, pelo que, “esta questão da monitorização, da fiscalização por parte do Governo português, é fundamental para impedir estas situações de ‘dumping’ (colocação no mercado de produtos a um preço abaixo do seu custo de produção)”.

A União Europeia acabou com as quotas leiteiras a 01 de abril de 2015. Os Açores, com 2,5% do território nacional, produzem cerca de 30% do leite do país e 50% do queijo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.