Jerónimo de Sousa admite que bipolarização penaliza partido nos Açores

Jerónimo de Sousa admite que bipolarização penaliza partido nos Açores

 

lusa   Regional   17 de Abr de 2010, 17:19

O secretário geral do PCP, Jerónimo de Sousa, reconheceu hoje que "a bipolarização tem penalizado o partido" nos Açores em termos eleitorais, mas declarou-se confiante numa alteração desse fenómeno.

"Há uma tendência de aprofundamento do pluralismo na sociedade açoriana que terá reflexos nos resultados a obter pelos comunistas em próximas eleições na região", acrescentou Jerónimo de Sousa, em declarações à Agência Lusa no início do IX Congresso do PCP/Açores, em Ponta Delgada.

Essa evolução aconteceu, por exemplo, nas eleições regionais de 2008, permitindo o regresso dos comunistas ao Parlamento açoriano, sublinhou.

O secretário geral comunista manifestou igualmente confiança nas eventuais consequências do congresso para o crescimento da influência do partido no arquipélago, realçando as mudanças que serão introduzidas "em termos de organização e no rejuvenescimento" dos órgãos dirigentes.

Permitirá, nomeadamente, uma "maior aproximação ao povo" e sempre que o PCP reforça a sua intervenção social consegue melhores resultados eleitorais, alegou Jerónimo de Sousa.

Na abertura do IX Congresso do PCP/Açores, que durante dois dias reúne cerca de uma centena de militantes de várias ilhas, o secretário coordenador regional do partido, Aníbal Pires, apontou as metas comunistas para os próximos quatro anos e criticou a ação dos últimos governos regionais do PS.

A eleição de um grupo parlamentar nas eleições regionais de 2012 está entre as prioridades comunistas, referiu Aníbal Pires, realçando que para a obtenção deste objetivo importa melhorar a forma como o PCP divulga as suas iniciativas.

Nas críticas dirigidas aos governos regionais do PS, o líder do PCP/Açores, em funções desde 2005 e que deverá ser escolhido para um novo mandato de quatro anos, sublinhou que os rendimentos dos trabalhadores açorianos continuam mais baixos do que no Continente, o custo de vida é mais elevado nas ilhas assim como o nível de precariedade laboral.

Aníbal Pires acrescentou que "sobre a base produtiva regional (agricultura e pescas) pendem fortes ameaças que resultam diretamente das políticas comuns" e das opões dos executivos socialistas de preterirem estes setores a favor da terciarização da economia regional.

Sob o lema "Um PCP mais forte por uma vida melhor nos Açores", o IX Congresso Regional dos comunistas açorianos, que encerra domingo com uma intervenção de Jerónimo de Sousa, vai debater uma proposta de resolução de cerca de 40 páginas, além de eleger novos dirigentes.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.