Israel rejeita reconhecimento da Palestina como Estado observador na ONU

Israel rejeita reconhecimento da Palestina como Estado observador na ONU

 

Lusa / AO online   Internacional   2 de Dez de 2012, 11:24

O Conselho de Ministros de Israel, presidido pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, adotou hoje uma resolução oficial que rejeita o reconhecimento pela ONU da Palestina como Estado observador.

 

“Rejeitamos a resolução 67/191 da Assembleia Geral das Nações Unidas de 29 de novembro de 2012”, diz o artigo 1 do texto aprovado por unanimidade pelos ministros do Governo de Israel.

Na primeira reunião desde que a Assembleia Geral das Nações Unidas concedeu o estatuto de Estado não-membro observador na ONU à Palestina, numa votação histórica na quinta-feira, os ministros israelitas defenderam o “direito natural, histórico e legal do povo judeu à sua terra e à sua capital eterna, Jerusalém”.

“O Estado de Israel, como Estado do povo judeu, tem o direito a reclamar os territórios que disputa na Terra de Israel”, afirmaram.

Os ministros israelitas rejeitam tanto o conteúdo geral da resolução internacional, como as consequências legais e políticas, entre elas a de que pode servir de marco para futuras negociações de paz.

A ONU reconheceu ao povo palestino o direito à autodeterminação e à independência “nas fronteiras de 1967”, uma formulação que o Governo de Natanyahu considerou inválida.

O primeiro-ministro insistiu nas ideias que tem defendido nas últimas semanas, de que os palestinianos cometeram uma “flagrante violação” dos Acordos de Oslo quando acorreram à ONU em busca de reconhecimento e assegurou que não se criará um Estado palestiniano “sem um acordo que garanta a segurança dos israelitas”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.