ISEP diz que existência de dois subsistemas de ensino superior não beneficia o país

ISEP diz que existência de dois subsistemas de ensino superior não beneficia o país

 

Lusa/AO Online   Nacional   6 de Abr de 2015, 16:32

O presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), João Rocha, defendeu hoje a necessidade de reequacionar o ensino superior, considerando que o modelo de dois subsistemas não beneficia o país e é gerador de algum desperdício.

Em declarações à agência Lusa a propósito do 163.º aniversário do ISEP, João Rocha defendeu a existência de um sistema de ensino superior único e avançou que as instituições se devem “diferenciar por aquilo que fazem e não pelas limitações administrativas que têm à sua atividade”, apelando a que todas tenham as mesmas oportunidades.

“É importante reequacionar o ensino superior em Portugal e refletirmos sobre a existência de dois subsistemas e tentarmos perceber se isso tem sentido ou não para o país. Na minha opinião, o modelo que nós temos atualmente em nada beneficia o país e é gerador de algum desperdício”, afirmou.

Concretamente sobre o ISEP, o presidente disse que com a redução do financiamento que a instituição tem sofrido e com algumas das propostas que têm surgido para o ensino superior, o maior desafio é conseguir manter o nível de qualidade na formação atingido.

“Há dois grandes riscos. O primeiro está relacionado com o decréscimo eventual do número de alunos que resulta fundamentalmente da redução de natalidade que se tem verificado no país mas também da crise dos últimos anos. O segundo grande desafio são as mudanças legislativas de que se tem falado que na nossa opinião poderão colocar em risco aquilo que tem sido a nossa atividade”, explicou.

João Rocha acrescentou ainda apesar da redução de financiamento público que atingiu, em termos comparativos, cerca de 65% nos últimos oito anos, o ISEP conseguiu “sobreviver aumentando as receitas próprias para valores próximos dos 50%”.

“O que é preocupante é deixarmos de ter condições para continuarmos a gerar receitas próprias que permitam manter o nosso nível de financiamento. Pedimos uma coisa muito simples: que nos deixem continuar a trabalhar para que possamos prestar à sociedade o serviço que entendemos que nos foi contratualizado”, enfatizou.

O ISEP comemora quarta-feira o 163.º aniversário, atribuindo, pela primeira vez, o prémio Alumni a um antigo aluno desta centenária escola de engenharia, sendo o galardoado o ex-presidente da Câmara de Vila do Conde Mário de Almeida.

No mesmo dia, de acordo com informação da instituição, será distinguido com o grau de professor emérito do IPP José Martins de Carvalho e vão ser entregues os Prémio Empreendedor aos projetos Alquinov e Easy2Rec, desenvolvidos no ISEP.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.