Isabel II agradece carinho recebido como rainha britânica há mais anos no trono

Isabel II agradece carinho recebido como rainha britânica há mais anos no trono

 

Lusa/AO online   Internacional   9 de Set de 2015, 18:03

A rainha Isabel II agradeceu o carinho recebido dos súbditos ao ficar para a história como a soberana britânica com o reinado mais longo, ultrapassando a sua trisavó, a rainha Vitória.

 

Fiel à sua agenda de trabalho, a monarca teve um dia sem grandes festejos, mas em que interrompeu as férias em Balmoral, na Escócia, para inaugurar uma nova linha ferroviária em Newtongrange, nos arredores de Edimburgo, acompanhada pela ministra principal da região, Nicola Sturgeon.

Depois de viajarem juntas num comboio puxado por uma locomotiva a vapor da estação de Edimburgo até Newtongrange, Isabel II descerrou uma placa comemorativa juntamente com o marido, o duque de Edimburgo, de 94 anos.

Rodeada de estudantes que brandiam a bandeira britânica e repetiam "Viva, Viva!", a rainha, de 89 anos, aproveitou a ocasião para expressar o seu agradecimento a todas as pessoas que lhe enviaram "mensagens comoventes de grande amabilidade" para assinalar a data.

Em Londres, a Câmara dos Comuns realizou uma sessão especial para lhe prestar tributo.

Segundo a imprensa, Isabel II quis marcar este facto histórico trabalhando e sem grandes celebrações, em contraste com as ocorridas em 2012, quando completou 60 anos de reinado.

De acordo com o palácio de Buckingham, a hora estimada a que a soberana ultrapassa a sua trisavó, a rainha Vitória, é às 16:30 TMG (17:30 em Lisboa), com um total de 23.226 dias, 16 horas e 30 minutos.

Na Câmara dos Comuns, o chefe do executivo britânico, David Cameron, classificou Isabel II como uma "rocha da estabilidade" e destacou o "alcance do serviço prestado" nos últimos 63 anos, durante os quais governou com 12 primeiros-ministros, desde Winston Churchill até ele mesmo.

Cameron frisou que a rainha efetuou 265 visitas oficiais, respondeu a 3,5 milhões de cartas e e-mails e enviou mais de 10.000 telegramas de felicitação aos cidadãos dos países da Commonwealth que completaram 100 anos.

"Com o seu desinteressado sentido de missão e de dever, conquistou um respeito e admiração incomparáveis, não só no Reino Unido, mas em todo o mundo", acrescentou.

"A rainha é a nossa rainha e não podíamos estar mais orgulhosos dela", sublinhou Cameron, agradecendo também ao duque de Edimburgo por a ter acompanhado durante todos estes anos.

Para recordar a data, o palácio de Buckingham divulgou hoje uma foto de Isabel II tirada no seu escritório pela famosa fotógrafa Mary McCartney, filha do ex-Beatle Paul McCartney, em julho passado.

Em Londres, uma frota de barcos liderada pela barcaça a remos real "Gloriana", navegou em procissão pelo rio Tamisa, e a Tower Bridge elevou-se à sua passagem em sinal de respeito.

Isabel II estava no Quénia quando ascendeu ao trono, em fevereiro de 1952, por morte de seu pai, o rei Jorge VI, e foi coroada no ano seguinte na Abadia de Westminster, em Londres.

Desde então, a soberana assistiu à grande transformação operada no Reino Unido, desde as dificuldades económicas do país após a Segunda Guerra Mundial ao florescimento das artes e letras e às dificuldades da monarquia devido à separação de três dos seus quatro filhos: Carlos, Ana e André.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.