Investigadores avaliam melhoria da capacidade de memória no envelhecimento

Investigadores avaliam melhoria da capacidade de memória no envelhecimento

 

Lusa/AO Online   Nacional   9 de Nov de 2015, 09:17

Uma equipa de vinte investigadores da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (UC) está a desenvolver um estudo para avaliar a melhoria da capacidade de memória no envelhecimento, foi hoje anunciado.

 

Depois de ter testado um programa em pessoas idosas com diagnóstico de doença de Alzheimer (fase inicial), a equipa de investigadores, coordenada por Mário R. Simões e Jorge Almeida, pretende agora aplicar um programa idêntico em idosos saudáveis.

O projeto Memória + tem “o objetivo de verificar a sua eficácia na prevenção do declínio da memória, típico do envelhecimento normal”, afirma a UC, numa nota hoje divulgada.

Em projetos anteriores, os investigadores do Centro de Investigação do Núcleo de Estudos e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) daquela faculdade “desenvolveram de raiz um programa de treino cognitivo e aplicaram-no em pessoas idosas com diagnóstico de doença de Alzheimer” ainda numa fase inicial.

Então, o programa, constituído por “exercícios de treino das capacidades mnésicas baseados em técnicas já testadas quanto à sua eficácia (aprendizagem sem erros, recuperação espaçada, eliminação de pistas, etc.)”, evidenciou ser “bastante eficaz”, refere a UC.

O programa de estimulação de memória desenvolvido no âmbito da pesquisa consiste “num conjunto de tarefas com diferentes níveis de dificuldade, entre as quais associação de faces e nomes, aprendizagem e evocação de listas de palavras” ou “visualização de cenários visuais complexos”, como listas de compras ou paisagens, exemplificam Ana Rita Martins e Lénia Amaral, investigadoras envolvidas no projeto.

O plano, que inclui ainda “a estimulação neuronal (estimulação direta do cérebro)”, fornece estratégias que “possam melhorar a capacidade mnésica dos idosos, ou seja, apresenta uma abordagem eficaz para prevenir o declínio da memória, uma das principais capacidades cognitivas que diminui com o envelhecimento”, adiantam as investigadoras do CINEICC.

“O objetivo é treinar a capacidade de memória de forma a melhorar o desempenho diário dos participantes e prevenir o declínio, promovendo um envelhecimento saudável”, sintetizam.

Para desenvolverem o projeto, que é financiado pelas fundações Bial e para a Ciência e Tecnologia (FCT), os investigadores solicitam a colaboração de “pessoas com 60 ou mais anos, independentes, para participarem no programa composto por 15 sessões presenciais”, que vão decorrer na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UC, junto da qual, através da internet ou por telefone, os voluntários se podem inscrever.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.