Investigação à queda do voo MH17 prolongada até agosto

Investigação à queda do voo MH17 prolongada até agosto

 

Lusa/AO online   Internacional   13 de Nov de 2014, 10:50

A Austrália, Holanda, Ucrânia, Bélgica e Malásia acordaram estender por mais nove meses as investigações à queda do avião da Malaysia Airlines em julho no leste da Ucrânia, informaram fontes oficiais.

 

“Apesar dos países membros (da Equipa Conjunta de Investigação) terem acordado trabalhar até agosto de 2015, sublinho que a Austrália está disposta a trabalhar o tempo que seja necessário para levar os responsáveis à justiça”, disse em comunicado o ministro australiano da Justiça, Michael Keenan.

A Austrália reiterou o seu compromisso com a equipa internacional que investiga a queda do voo MH17 numa reunião na Ucrânia esta semana entre Keenan, e o vice-ministro ucraniano, Volodymyr Groysman, o titular da Justiça desse país, Pavlo Petrenko, entre outras autoridades.

A polícia australiana enviou 35 peritos para a Ucrânia e Holanda (Haia) para trabalhar com a Equipa Conjunta de Investigação que investiga a queda do aparelho com 298 pessoas a bordo, incluindo 38 cidadãos e residentes do país oceânico.

"A Austrália está comprometida em voltar ao local da queda. No entanto, a situação de segurança no leste continua instável. Qualquer decisão de voltar ao local será tomada em conjunto com os parceiros da Equipa Conjunta de Investigação e se estiverem reunidas as condições de segurança”, afirmou Keenan.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.