Inter Rail atrai sobretudo jovens estudantes mas também há famílias a aderir à aventura

Inter Rail atrai sobretudo jovens estudantes mas também há famílias a aderir à aventura

 

AO/Lusa   Economia   10 de Ago de 2014, 11:49

Jovens estudantes, com menos de 26 anos, que vão com amigos viajar de comboio pela Europa no verão são quem mais procura o Inter Rail, representando 83% das vendas, mas a aventura também atrai famílias.

 

Maria e Bernardo tinham 22 anos quando foram em 2009, com mais três amigos, para aquela que todos, hoje com menos de 30 anos, já consideram uma das grandes viagens das suas vidas.

Amigos de infância, em comum têm ainda o gosto pela aventura, pela vontade de viajar e conhecer outros países e foi isso que os levou a decidir, com menos de 15 dias de antecedência, que queriam fazer um Inter Rail.

Os destinos começaram por ser a Grécia e a Europa de Leste, mas o trajeto afinal levou-os, durante 22 dias, de Lisboa a Paris, Bruxelas, Amesterdão, Berlim, Leipzig, Praga, Cesky Krumlov, Liubliana, Milão e Madrid.

"Foi uma experiência única. Ainda hoje, sempre que estamos juntos, recordamos essa viagem, os lugares, as peripécias, os contratempos e rimo-nos muito", conta Maria.

Comboios ‘perdidos’, trajetos mal calculados ou dormidas ao relento nas estações fazem parte do leque de histórias. Como eram estudantes, com disponibilidade financeira mais limitada, o preço do bilhete, 269 euros, pareceu-lhes "aceitável".

"Foram as poupanças do ano. Qualquer dinheiro para viajar é bem empregue. Além do bilhete, gastámos cerca de 500 euros em estadias, refeições e diversão. Um preço justo para a experiência que foi", diz Bernardo.

Mas nem só grupos de amigos procuram este género de viagem. Amália e Inês, mãe e filha, decidiram ir viver a experiência juntas, durante 15 dias, por Berlim, Amesterdão, Bruxelas, Antuérpia, Londres e Edimburgo.

"No início desse verão, em 2011, o meu pai faleceu. Achei que a minha mãe, depois de 30 anos com o mesmo companheiro, precisava de uma aventura, de viver todos os dias dessas férias de forma diferente, com algo novo para conhecer e realizar velhos sonhos que a vida foi adiando", conta Inês.

A experiência, dizem, "foi única e especial" e fortaleceu a relação de mãe e filha, tornando-as "mais confidentes e melhores amigas".

"Foram duas semanas em que rimos e chorámos juntas e foi determinante para começarmos um novo ano de trabalho, com novas forças, novas perspetivas, um recomeço de vida", recorda Inês.

 

João Oliveira ‘agarrou’ também na mulher e duas filhas, de 10 e 12 anos, para um Inter Rail em família, em 2012, durante quatro semanas.

"Um dos maiores benefícios do Inter Rail é poder decidir no último momento qual o comboio que se apanha a seguir. Esta sensação de liberdade é verdadeiramente deliciosa. Saímos de Portugal para Paris, com a firme convicção de que seguiríamos para o norte da Europa, mas as nossas filhas pediram-nos praia e, de um dia para o outro, mudámos os planos", conta João.

Na memória da família ficam as "melhores férias", com tempo para conhecer vários países, outras culturas, diferentes gastronomias e, acima de tudo, desfrutar da companhia uns dos outros nas várias horas passadas no comboio, com tempo para conversar e brincar.

A experiência, assegura, é para repetir e aconselhada a todas as famílias, já que é uma "excelente opção para conhecer a Europa, além de ser económico para uma família".

Segundo a CP, a altura em que as pessoas mais viajam com Inter Rail é o mês de julho (41%) e o passe para 10 dias de viagem (com 22 dias de validade) é o mais procurado (29%).



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.