Instituições católicas portuguesas discutem apoio social


 

Lusa/AO On line   Nacional   22 de Jul de 2010, 06:46

As instituições católicas que prestam apoio social reúnem-se hoje em Lisboa para debater a situação de crise que afeta os portugueses, receando os responsáveis da Igreja um agravamento dos problemas sociais após as férias de verão.

O bispo auxiliar de Lisboa, Carlos Azevedo, convocou para hoje uma reunião extraordinária do Conselho da Pastoral Social em Lisboa, que engloba organizações como a Cáritas Portuguesa, a Comissão Nacional da Pastoral da Saúde, a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade e o Secretariado Nacional da União das Misericórdias Portuguesas.

Em declarações à agência Lusa, o responsável lembrou que “convém que haja uma coordenação (entre estas entidades) para atender o mais possível de forma organizada e eficaz à resolução dos enormes problemas que se vão encontrar depois das férias”.

O bispo lembra que durante o período de férias as pessoas tendem a "distrair-se um bocadinho" dos seus problemas, mas “quando regressarem eles estarão lá e serão piores, com mais despedimentos e outras situações”.

Por isso, hoje, o Conselho Consultivo da Pastoral Social vai reunir-se para fazer uma análise da situação, apesar de o diagnóstico já ser “mais ou menos conhecido”.

"Procurando ler os sinais dos tempos, todos sabemos, através da diversidade das nossas experiências, que a 'crise' que se instalou na nossa sociedade se vai agravar ainda mais na vida quotidiana de todos, em particular na dos mais pobres", sublinhou.

“Vamos ver que decisões tomar e que forças são precisas reunir para ir ao encontro das necessidades dos portugueses”, sublinhou Carlos Azevedo, apontando o desemprego como um dos grandes problemas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.