Inspeção Regional da Educação dos Açores vai avaliar escolas

Inspeção Regional da Educação dos Açores vai avaliar escolas

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Nov de 2014, 05:28

A Inspeção Regional da Educação dos Açores vai criar um programa de avaliação integrada das escolas, com uma fase experimental inicial, avançou o presidente do Sindicato dos Inspetores de Educação e Ensino (SIEE), José Calçada.

 

"Desse programa de avaliação integrada das escolas podemos ficar a conhecer melhor as escolas, porque só assim é que sabemos o que podemos fazer com elas, com elas, repito, não contra elas", frisou, à saída de uma reunião com o secretário regional da Educação e Cultura, em Angra do Heroísmo.

Segundo José Calçada, o programa não pretende classificar as escolas, mas detetar os pontos fortes e os pontos fracos para corrigir o que estiver menos bem.

"Nós não defendemos rankings, as escolas não são comparáveis", salientou.

Na última reunião com o secretário regional da Educação, na altura ainda com o anterior titular da pasta, o sindicalista criticou a ação do então inspetor regional, que entretanto também foi substituído, acusando a inspeção de não ter um plano.

José Calçada considerou, no entanto, que a mudança de inspetor é "um passo em frente" e que a reunião que teve com o atual secretário regional abriu "expetativas muito positivas em relação ao futuro trabalho da inspeção regional".

"Foi possível chegar a consensos fundamentais sobre as ideias que devem dar forma ao trabalho da inspeção, vamos agora ver no terreno como é que isso vai funcionar", disse, realçando que há agora "sintonia" entre as ideias do secretário regional e do inspetor da Educação.

Não esteve em cima da mesa um aumento do número de inspetores, que neste momento se situa numa dezena, mas o presidente do SIEE considerou que o mais importante é a "metodologia de trabalho".

"Durante quatro anos, a Inspeção Regional da Educação andava aleatoriamente pelas escolas sem um plano perfeitamente definido. Quando havia plano de atividades, se é que havia, os inspetores nem dele tinham conhecimento e não se pode trabalhar conforme os ventos", frisou.

O secretário regional da Educação e Cultura, Avelino Meneses, fez um balanço semelhante da reunião de cerca de duas horas, alegando que as duas entidades se entenderam "na perfeição".

Avelino Meneses disse que ainda no decurso deste ano letivo, será realizada "uma ação de formação para inspetores para que se familiarizem com questões novas da profissão" e confirmou a intenção de se realizarem inspeções nas escolas com experiências piloto "numa perspetiva de melhoria do sistema educativo regional".

O secretário regional da Educação defendeu também que a inspeção tem que ter um programa de atividades e "não pode ser constituída por um grupo de inspetores que se limita a fazer inquéritos, a correr de escola para escola e a resolver problemas urgentes".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.