Inspeção deteta falta de limpeza nas ecoilhas de Ponta Delgada

Carregando o video...

 

Luís Pedro Silva   Regional   14 de Mar de 2017, 19:29

A queixa apresentada pelos munícipes apontava para a existência de ratos, baratas e maus cheiros provenientes das ecoilhas, por causa da falta de limpeza.
O delegado de saúde de Ponta Delgada, Paulo Margato, “constatou todos os factos apresentados na denúncia” e solicitou à autarquia para proceder à remoção, limpeza e desinfestação dos contentores para verificar os procedimentos de higienização em vigor.

 

“Foi unânime após a reunião técnica que todos os procedimentos vão ter de ser revistos, porque não configuram uma boa prática. Vamos de uma forma construtiva colaborar com a câmara para salvaguardar a saúde pública”, indicou o delegado de saúde de Ponta Delgada.

 

Para resolver o problema identificado nas ecoilhas, Paulo Margato concedeu um prazo de 48 horas para a autarquia de Ponta Delgada “proceder à limpeza, remoção dos resíduos e desinfestação. Desta forma ficam asseguradas as questões prioritárias ao nível da saúde pública”.

 

Depois é necessário a autarquia verificar se esta “é a solução adequada” ou se “é necessário criar alternativas”, podendo também haver um reforço das ações de sensibilização para uma correta utilização das ecoilhas.

 

Paulo Margato relatou ainda que chegaram queixas à delegação de saúde por odores de urina  em alguns locais na cidade de Ponta Delgada. 

 

A ação de fiscalização foi realizada pela Delegação de Saúde de Ponta Delgada e a Unidade de Saúde Pública da Ilha de São Miguel nas ecoilhas colocadas na rua do Aljube e rua Almirante Botelho de Sousa.

 

Luísa Magalhães, vereadora da câmara com o pelouro do ambiente, refere que existe um plano de limpeza das ecoilhas de três em três meses. 

 

A limpeza deveria começar esta quarta-feira, mas foi antecipada pela vistoria da delegação de saúde, sendo que durante os próximos dias vão ser limpas todas as ecoilhas instaladas na zona urbana de Ponta Delgada.

 

A vereadora garante que este prazo de limpeza poderá ser reduzido caso exista “necessidade” e acrescenta que foi lançado um concurso para a limpeza regular dos contentores do lixo a partir de maio.

 

Também está prevista a recolha de indiferenciados ao domingo no centro de Ponta Delgada, sobretudo para reduzir os maus cheiros em zonas comerciais. Luísa Magalhães refere que nunca foram identificados “roedores nas ecoilhas”, sendo frequente encontrar baratas. 


A autarquia vai continuar a apostar nas ações de sensibilização para uma correta utilização das ecoilhas, porque existem pessoas que colocam o lixo de forma indiferenciada

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.