Inspeção de Jogos de Macau garante apoio à investigação de fraude nos casinos

Inspeção de Jogos de Macau garante apoio à investigação de fraude nos casinos

 

Lusa / AO online   Economia   20 de Set de 2015, 11:50

A Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos de Macau disse, em comunicado, que "dará" toda a colaboração necessária à Polícia Judiciária para investigar um caso de alegado desvio de fundos de um operador vip dos casinos locais.

 

O caso, relativo ao operador Dore, angariador de grandes jogadores para os casinos locais, foi conhecido recentemente e, de acordo com os últimos dados, cerca de 30 pessoas já apresentaram queixa junto das autoridades depois de terem perdido 300 milhões de dólares de Hong Kong (34,24 milhões de euros).

"Relativamente ao recente caso de um funcionário de um promotor de jogo que fugiu por motivo de desvio de fundos do mesmo, a Polícia Judiciária já deu início a um processo de investigação sobre o caso. A Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos dará toda a colaboração necessária a esta investigação e acompanhará, dentro das suas competências, o caso em questão", refere a nota oficial daquele organismo de supervisão.

Os depósitos feitos na Dore são, de acordo com vários especialistas em Direito, ilegais se feitos para obter um retorno financeiro com juros.

"Ninguém pode ser impedido de, através destes operadores que são angariadores de jogadores, comprar fichas e jogar no casino depois de ter feito um depósito na empresa, mas efetuar um depósito para servir de empréstimo a terceiros ou efetuar um depósito para receber juros elevados, então isso não é legal, dado estar enquadrado na atividade do setor bancário", explicou uma fonte ligada à Administração de Macau.

Por outro lado, acrescentou a fonte, um depósito ou qualquer outro tipo de investimento pressupõe um documento comprovativo, elemento que segundo vários órgãos de comunicação social nem sempre está na posse dos queixosos.

Os depósitos nos operadores "junkets" obrigam à identificação do depositante para valores acima de meio milhão de patacas (55 mil euros) o investimento na própria empresa tem regras próprias que obrigam, por exemplo, a uma declaração quando a quota é superior a 5%.

A Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos lembra ainda que de acordo com a legislação de Macau "só as instituições de crédito regularmente constituídas e autorizadas nos termos do mesmo diploma ou em legislação especial podem exercer uma atividade que compreenda a receção, do público, de depósitos ou outros fundos reembolsáveis".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.