Inflação na OCDE em outubro subiu 1,4% face ao mesmo mês de 2015

Inflação na OCDE em outubro subiu 1,4% face ao mesmo mês de 2015

 

Lusa/Açoriano Oriental   Economia   6 de Dez de 2016, 11:05

A inflação no conjunto da OCDE em outubro subiu 1,4% face ao mesmo mês de 2015 devido à energia, pela subida do preço do barril de petróleo, segundo dados da organização.

 

Os preços da energia em outubro continuaram a descer face ao mesmo mês de 2015 (-0,6%), mas a um ritmo muito menos marcado do que em setembro (-2,8%), sublinhou a OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico) para explicar a subida da inflação.

O mesmo ocorreu, mas de forma menos pronunciada, com os preços dos alimentos que em outubro desceram 0,3% face ao mesmo mês de 2015, contra um decréscimo de 0,4% em setembro.

Excluindo a energia e os alimentos, habitualmente os elementos mais voláteis, a inflação subjacente caiu em outubro para 1,7%, menos uma décima do que em setembro (1,8%).

A zona euro continuou a destacar-se pela baixa inflação, já que esta se situou em 0,5% em outubro, mais uma décima do que em setembro (0,4%).

Em outubro deste ano face ao mesmo mês de 2015, além de Portugal, onde a taxa de inflação foi de 1,1%, os preços também subiram 0,7% na Alemanha, 0,5% em França e em Espanha.

Com tendência diferente, no referido período e no seio da zona euro, os preços desceram 0,4% na Irlanda, 0,3% na Eslováquia e 0,1% em Itália.

Segundo as primeiras estimativas da agência de estatística europeia, Eurostat, a inflação registou um novo acréscimo em novembro, para 0,6%.

Fora da Europa, em outubro e face ao mesmo mês de 2015, os preços subiram uma décima nos Estados Unidos para 1,6% e seis décimas no Japão para 0,1%.

As taxas de inflação mais altas de toda a OCDE foram registadas na Turquia (7,2%), na Noruega (3,7%), no México (3,1%) e no Chile (2,8%).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.