Inflação na China é de 2,6 por cento no primeiro semestre deste ano


 

Lusa / AO online   Economia   12 de Jun de 2010, 13:25

O aumento do índice chinês de preços no consumidor, um dos principais indicadores da inflação, deverá rondar os 2,6 por cento no primeiro semestre do ano, anunciou hoje o organismo máximo de planeamento económico da China.

A previsão foi divulgada um dia depois de o Serviço Nacional de Estatísticas ter indicado que a inflação em maio passado foi de 3,1 por cento, o valor mais alto dos últimos 19 meses e que ultrapassa o teto de 3 por cento preconizado pelo governo para este ano.

O valor indicado hoje revê em alta a anterior previsão da Comissão para o Desenvolvimento e Reforma, que apontava para um aumento médio de preços de 2,5 por cento durante o primeiro semestre de 2010.

“Embora a China enfrente uma grande pressão (inflacionista), a meta de 3 por cento para o conjunto do ano ainda é possível”, disse um perito citado pela agência noticiosa oficial chinesa.

A economia chinesa cresceu 8,7 por cento em 2009 e para este ano o Fundo Monetário Internacional prevê um crescimento de 9,5 por cento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.