Liga Zon Sagres

Ineficácia bracarense dá nulo em Setúbal

Ineficácia bracarense dá nulo em Setúbal

 

Lusa/AOnline   Futebol   21 de Ago de 2010, 21:14

Vitória de Setúbal e Sporting de Braga empataram 0-0, em jogo da segunda jornada da Liga portuguesa de futebol, resultado que pune os bracarenses pela ineficácia demonstrada e premeia os sadinos pela entrega

A três dias da deslocação a Sevilha, o Sporting de Braga soube criar oportunidades de golo, mas demonstrou algumas deficiências na finalização, perante um Vitória de Setúbal que conseguiu assustar em alguns momentos.

Domingos Paciência fez quatro alterações no “onze” que, no último jogo, recebeu e venceu o Sevilha (1-0), fazendo entrar Paulão, Lima, Elton e Meyong para os lugares de Rodríguez, Vandinho, Paulo César e Alan., enquanto do lado dos sadinos, Manuel Fernandes não fez qualquer alteração, em relação aos titulares que defrontaram o Marítimo.

O Sporting de Braga apareceu no Bonfim com uma formação de cariz nitidamente ofensivo, com um quarteto formado por Lima, Matheus, Elton e Meyong na frente, apoiados pelos médios Leandro Salino e Luís Aguiar.

A estrutura montada por Domingos Paciência obrigava Silva, o médio mais defensivo do losango setubalense, a recuar para apoiar os centrais, o que possibilitava que os médios bracarenses tivessem tempo e espaço para pensar as jogadas.

Logo aos 10 minutos, surgiram as primeiras oportunidades do jogo, primeiro na baliza de Diego, que negou a possibilidade de golo ao Braga, para logo depois, Miguelito proporcionar a Felipe uma intervenção difícil, num remate cruzado de fora da área.

Os “arsenalistas” mandavam no jogo e aos 28 minutos Elton desperdiçou excelente ocasião, antes de Lima, já em tempo de compensação, rematar sem nexo, na mais flagrante ocasião de golo, numa altura em que já havia “mais” Setúbal.

Os sadinos entraram mais decididos para o segundo tempo, rondando com perigo a área do Braga, mas seriam os visitantes, já com Alan e Paulo César em campo, a estar muito perto de inaugurar o marcador, por duas vezes, ambas negadas pelo guardião Diego.

Diego foi, de resto, um dos melhores homens do jogo, numa fase que o Sporting de Braga dispôs de oportunidades para “faturar”, mas mostrava enorme ineficácia na hora de atirar à baliza.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.