Incêndio catastrófico no Canadá força 80 mil a abandonarem residências

Incêndio catastrófico no Canadá força 80 mil a abandonarem residências

 

Lusa/AO Online   Internacional   5 de Mai de 2016, 08:18

A cidade canadiana de Fort McMurray continuava hoje sob a ameaça de um incêndio catastrófico, preveniram as autoridades, depois de mais de 80 mil residentes terem sido forçados a sair das suas casas.

 

Ainda não foram registadas vítimas do “inferno das chamas”, como foi designado pelas autoridades canadianas, que se propaga ao longo da região das areias betuminosas de Alberta.

Mas os dirigentes do país já preveniram para a importância crítica das próximas 24 horas.

“Este incêndio é absolutamente devastador”, disse o primeiro-ministro, Justin Trudeau. “É uma perda a uma escala que é difícil para muitos de nós imaginar”, reforçou.

Os serviços de emergência de Alberta anunciaram pouco antes da meia-noite de terça-feira que toda a cidade de Fort McMurray, que tem cerca de 100 mil habitantes estava sob obrigação de evacuar. Acrescentaram posteriormente que a vertente norte do inferno estava a “crescer rapidamente”.

Imagens da área ao longo da noite mostravam árvores a arder nas proximidades de autoestradas engarrafadas, com colunas de fumo negro a espalharem-se à medida que as chamas consumiam edifícios.

A autarca Melissa Blake afirmou que as previsões sobre o que poderia acontecer excederam as piores expectativas.

“Esta é uma situação muito explosiva”, avisou Bernie Schmitte, do Ministério da Agricultura e Florestas, acentuando: “Estes são incêndios catastróficos”.

O fogo já consumiu cerca de duas mil residências nas zonas mais exteriores da cidade e destruiu cerca de 10 mil hectares, detalhou.

Mais de 80 mil pessoas já saíram da cidade, situada 400 quilómetros a norte da capital provincial, Edmonton, segundo Scott Long, dos serviços de emergência de Alberta, com a área em torno do aeroporto a ser a única a não estar sob obrigação de evacuação.

O fogo está a ser combatido por nove aviões-cisterna, uma dúzia de helicópteros e 250 bombeiros e os militares já foram colocados em alerta.

Desde as 08:00 locais (15:00 de Lisboa) de hoje que os voos sobre a cidade estão suspensos.

As companhias petrolíferas que operam na região, como Suncor, Syncrude e Shell, reduziram a atividade, para facilitar a retirada de trabalhadores não essenciais.

O fogo, que tinha sido contido até domingo a sul de Fort McMurray, foi conduzido para a cidade por ventos de 50 quilómetros horários, ajudado também pela seca que aflige Alberta.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.