INAC obriga companhias aéreas a terem dois tripulantes no 'cockpit' em pernanência


 

Lusa/AO online   Economia   27 de Mar de 2015, 16:30

O Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) decidiu emitir uma diretiva de navegabilidade, que obriga as companhias aéreas a manterem "em permanência, no mínimo, dois tripulantes no cockpit, em todas as fases de voo".

 

A informação foi hoje avançada num comunicado da entidade reguladora e foi decidida no seguimento de contactos entre o instituto e a Agência da Aviação Civil Europeia, "com vista à concertação dos Estados Membros acerca das medidas a tomar" face às causas do acidente da Germanwings, indicou o INAC.

A nova diretiva é uma medida de caráter preventivo e "que será divulgada junto de todos os operadores", constituindo "mais um contributo para a melhoria da segurança em voo", tendo em conta a "mitigação" dos riscos associados ao acidente da transportadora.

"Apesar desta medida, manter-se-ão todas as práticas e procedimentos até agora adotados pelo regulador e que, direta ou indiretamente, têm elementos de conexão com a problemática da "falha humana" neste tipo de acidentes, ao nível das avaliações médicas", referiu ainda o INAC, acrescentando que estas incluem provas de aptidão física, mental e psicológica dos tripulantes e dos controladores de tráfego aéreo.

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, já tinha anunciado hoje que o INAC iria emitir esta nova recomendação.

"Esta diretiva entrará em vigor de imediato", disse Sérgio Monteiro, acrescentando que esta será aplicável a todas as companhias aéreas sedeadas em Portugal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.