Campeonato Europeu

Implacável Espanha sagra-se hexacampeã frente a Portugal

Implacável Espanha sagra-se hexacampeã frente a Portugal

 

Lusa/AOnline   Hóquei em Patins   11 de Set de 2010, 21:30

A Espanha bateu, de forma implacável, a seleção portuguesa, por 8-2, na final do campeonato da Europa de hóquei em patins, garantindo o seu sexto título consecutivo.

Dominante do princípio ao fim, a formação espanhola conseguiu, com alguma facilidade, três golos de vantagem e Portugal, ainda ensaiou a resposta na primeira parte, mas quebrou completamente no segundo tempo, deixando que o resultado se avolumasse.

Logo aos três minutos, uma perda de bola da seleção lusa, na área defensiva, permitiu a Pedro Gil, assistido por Jordi Bargalló, inaugurar o marcador, empurrando a Espanha para o triunfo.

Na resposta, Portugal começou por recorrer à meia distância para visar a baliza espanhola, até que, aos sete minutos, Luís Viana conseguiu ficar frente a frente com Sergi Fernandez, mas o guarda-redes levou sempre a melhor.

Mais eficaz, a Espanha avolumou a vantagem, primeiro, por Josep Ordeig, e, depois, por Pedro Gil, capitalizando a superioridade numérica no ataque, batendo com alguma simplicidade Ricardo Silva.

Aos 10 minutos, Caio permitiu a defesa a Sergi Fernandez num livre direto, a punir uma falta de Marc Gual, que lhe valeu um cartão azul.

O “emigrante” Ricardo Barreiros, do Liceo da Corunha, assinou, aos 14 minutos, o primeiro golo da equipa lusa, aproveitando com sucesso a defesa para a frente do guarda-redes espanhol, após remate de Caio.

Dois minutos depois, André Azevedo, com um remate à entrada da área que sofreu um desvio na trajetória, surpreendeu o guarda-redes espanhol, sem que a formação orientada por Carlos Feriche desarmasse.

Josep Ordeig voltou a “descansar” a Espanha, com 4-2 ao intervalo, após cruzar a bola e esta mudar de rota com o ligeiro toque no stick de Ricardo Barreiros.

A vantagem espanhola ficou ainda mais confortável, aos 23 minutos, quando Jordi Bargalló assinou novo golo ao concretizar em rotação, após receber a bola de costas para a baliza.

Até final, a Espanha ainda desperdiçou, a 11 minutos do fim, um livre direto por Mar Gual, que castigou uma intervenção faltosa do “azulado” Pedro Moreira, mas, nos minutos finais, Jordi Bargalló, Marc Torra, Jordi Adroher selaram a goleada espanhola.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.