Igreja de São Roque fechada por precaução devido a derrocada no adro

Igreja de São Roque fechada por precaução devido a derrocada no adro

 

Lusa/AO online   Regional   16 de Dez de 2015, 15:55

A Igreja de São Roque foi encerrada por uma questão de precaução depois de uma derrocada ter afetado parte do adro do templo, construído sobre uma falésia, disse o pároco.

O padre Hélder Cosme explicou à Lusa que "a fachada e o interior do templo não sofreram danos, mas uma parte do muro lateral direito do adro ruiu, levando parte do pavimento".

Por isso, até os técnicos avaliarem o risco de novas derrocadas, em função do agravamento das condições meteorológicas previstas para quinta e sexta-feira, o adro fica interditado e a utilização da igreja parada por precaução.

Uma nota do Governo Regional, na sequência de uma visita a São Roque efetuada hoje pelo secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, Fausto Brito e Abreu, adianta que se registou durante a noite "uma derrocada provocada pela intempérie numa extensão de cerca de dez metros, que afetou parte do adro da igreja".

Fausto Brito e Abreu adiantou que "a Autoridade Marítima e a Proteção Civil já interditaram parte do adro da igreja, um património importante da ilha que deve ser preservado".

De acordo com o pároco, o templo deverá receber serviços litúrgicos no sábado e no domingo, mas, caso as autoridades decidam encerrar a igreja, "serão encontradas, na freguesia, outras soluções alternativas para os atos religiosos", salientando que "o mais importante é salvaguardar a segurança das pessoas e do templo".

A igreja de São Roque, que apresenta características do Barroco, inclui uma torre sineira e capela anexa, do Santíssimo, enquanto no altar-mor, com retábulo em madeira, está a imagem do padroeiro, São Roque, um santo da Igreja Católica.

As ilhas dos grupos oriental (ilhas de Santa Maria e de São Miguel) e central (São Jorge, Faial, Terceira, Graciosa e Pico) estiveram na segunda-feira sob aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, devido às condições atmosféricas adversas.

O mau tempo provocou um morto e a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Escolas, tribunais e serviços municipais fecharam e mais de 1.600 passageiros ficaram em terra devido ao cancelamento de dezenas de voos.

Já na terça-feira, os dois grupos de ilhas estiveram sob aviso amarelo devido à chuva, trovoada e vento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.