Hospital e centros de saúde nos Açores criam plano para melhorar deslocações

Hospital e centros de saúde nos Açores criam plano para melhorar deslocações

 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Set de 2015, 06:01

O Hospital da Ilha Terceira e as Unidades de Saúde de Ilha das ilhas Terceira, São Jorge, Pico e Graciosa, chegaram a acordo para implementarem um plano relativo às deslocações de médicos especialistas e de utentes.

 

"Esse programa de trabalho conjunto tem dois planos de ação: um plano de ação do hospital e o plano de ação espelho da unidade de saúde respetiva, para que se possa depois acompanhar o realizado da parte da unidade de saúde e o realizado da parte do hospital", salientou, em declarações aos jornalistas, Paula Moniz, presidente do conselho de administração do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira.

As administrações e as equipas multidisciplinares das Unidades de Saúde de Ilha da Graciosa, Pico, São Jorge e Terceira estiveram, hoje, reunidas com a administração do hospital.

Segundo Paula Moniz, a implementação do plano será avaliada em janeiro por uma equipa criada para esse efeito no hospital.

Em 2014, o Governo Regional dos Açores alterou as regras de pagamento das deslocações dos médicos especialistas às ilhas sem hospital (todas exceto Terceira, Faial e São Miguel), o que levou a que muitos profissionais tenham recusado efetuar deslocações.

A presidente do conselho de administração do Hospital da Ilha Terceira reconheceu que o problema "não está ultrapassado" e que tem "algumas dificuldades de implementação", mas garantiu que a unidade de saúde está "a avaliar essa a situação".

"As dificuldades têm a ver com o facto de a presença nas ilhas estar hoje perfeitamente tipificada no enquadramento legal em vigor e que não tem ainda sido suficientemente atrativo para que os médicos do Hospital da Ilha Terceira respondam", explicou.

Até dezembro, o Hospital da Ilha Terceira vai reforçar as deslocações de especialistas nas áreas de oftalmologia e da psiquiatria para as ilhas de São Jorge e Graciosa.

O plano vai introduzir mudanças também na deslocação de utentes, segundo Paula Moniz, prevendo que as prioridades sejam "constantemente aferidas".

Haverá um "processo de triagem específica", baseada numa "consultadoria entre os médicos especialistas e o médico de medicina geral e familiar", para que os doentes com maiores necessidades sejam atendidos mais rapidamente.

Nesse sentido, o hospital vai reforçar a implementação de tecnologia que permita videoconferência em diversos serviços, como as urgências.

"Queremos que esse diálogo [entre médicos] seja mais sistematizado", frisou, explicando que a videoconferência "ajuda a um contacto visual e à troca de exames médicos".

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.