Hospital de Ponta Delgada, terá centro de tratamento inovador para diabéticos

Hospital de Ponta Delgada, terá centro de tratamento inovador para diabéticos

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Set de 2015, 14:57

O Hospital de Ponta Delgada, Açores, vai ter um centro de tratamento "inovador para diabéticos" que vai permitir, "a médio e longo prazo", reduzir as taxas de complicações nestes doentes na região onde a taxa de prevalência ronda os 15,5%.

“Na prática este centro vem proporcionar, principalmente aos diabéticos mais jovens, um tipo de tratamento inovador que irá permitir reduzir, por exemplo, o número de picadas que têm que fazer diariamente não só para controlo, mas também para administração da insulina e garantir também uma maior adesão terapêutica principalmente nestas fases mais jovens que há normalmente uma recusa na própria doença e uma não adesão aos tratamentos convencionais”, explicou o secretário regional da Saúde, Luís Cabral, em declarações à Lusa.

O titular pela pasta da Saúde nos Açores falava à margem da assinatura de um protocolo entre a Direção Regional de Saúde, o Hospital do Divino Espírito Santo e a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, para a implementação do Centro de Tratamento para a Perfusão Subcutânea Contínua de Insulina.

O centro de tratamento vai ter uma equipa de profissionais que estão em formação e permitirá "um atendimento de 24 horas, de forma a garantir, em qualquer circunstância, a capacidade de resposta dentro desta área”, acrescentou o secretário.

Serão disponibilizadas consultas específicas aos utentes em terapêutica intensiva com bombas de perfusão subcutânea contínua de insulina.

Segundo Luís Cabral, os novos dispositivos permitem "uma maior adesão das crianças e dos adolescentes" à terapêutica, garantindo que os mais jovens "cheguem a uma idade adulta com os seus níveis de diabetes controlados" e evitando problemas "precoces" decorrentes da doença, quer ao nível da visão quer do coração.

“Por isso o investimento do Governo regional dos Açores nesta nova modalidade terapêutica vai permitir, a médio e longo prazo, reduzir as taxas de complicações nos doentes diabéticos na região”, salientou o governante, lembrando, no entanto, que o principal tratamento da diabetes reside num bom controlo alimentar e exercício físico regular.

Luís Cabral disse ainda uma que das apostas das autoridades nesta área tem passado pela "consciencialização" da população para alterações de hábitos de vida e "dentro desta lógica tem sido desenvolvido o Plano Regional de Saúde que tem uma das suas ações especificamente direcionada a esta área" e que também permitiu "contratar nutricionistas para todos os centros de saúde da região".

O diretor do serviço de Endocrinologia do Hospital de Ponta Delgada, Rui César, disse à Lusa que a prevalência de diabéticos na região "continua a ser elevada" e deve situar-se "acima dos 15,5%" o que se deve "a uma maior esperança média de vida e excesso de peso.

Rui César frisou que o novo centro é de "alta qualidade e de alta definição" que vai permitir que alguns doentes "com maior dificuldade no controlo da sua doença tenham um tratamento mais rigoroso e mais bem definido", sobretudo, no caso das "crianças até aos cinco anos ou grávidas".

"Mas é preciso que as pessoas percebam que não há milagres. Isto melhora muito a possibilidade de controlo das doenças mas as pessoas têm que ter uma atitude proactiva e cuidarem da sua saúde", alertou o especialista.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.