Hora do Planeta já tem 140 municípios a apagar luzes contra alterações climáticas

Hora do Planeta já tem 140 municípios a apagar luzes contra alterações climáticas

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   24 de Mar de 2017, 17:34

A Hora do Planeta já tem a adesão de 140 municípios, um recorde de participações portuguesas na iniciativa que pretende pôr o mundo às escuras contra as alterações climáticas e promove a mudança de comportamentos.

 

"Este ano é um número absolutamente recorde, tinhamos fixado [a meta de] 150, e vamos atingir porque já temos 140 e no último dia chegam sempre muitos [municípios aderentes] e é bom pois mostra um envolvimento ainda maior das pessoas na Hora do Planeta", que se assinala no sábado, disse hoje à agência Lusa a responsável pela WWF em Portugal.

Ângela Morgado recordou que todos os municípios aderentes à Hora do Planeta "têm de apagar a luz de um ou dois monumentos emblemáticos da cidade ou da vila", mas também fazem a divulgação da iniciativa e da sua mensagem contra as alterações climáticas, podendo ainda os cidadãos desligar a eletricidade nas suas casas.

Em muitos concelhos são organizados eventos a sensibilizar para a necessidade de mudar hábitos de consumo e tentar reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, principais responsáveis pelas alterações climáticas.

"É uma ideia simbólica para que as pessoas adotem comportamentos mais sustentáveis e os municípios organizam corridas, aulas de ioga, paradas de velas, jantares à luz de velas, incentivam os cidadãos a aderirem a este tipo de eventos para participarem na Hora do Planeta", relatou Ângela Morgado.

A celebração da Hora do Planeta, que pretende pôr o mundo às escuras entre as 20:30 e as 21:30 de sábado, assinala dez anos, depois da primeira vez em Sidney, na Austrália, em 2007, e já abrange mais de 8.000 cidades, em 170 países, sendo "reconhecida como a maior ação pelo ambiente e contra as alterações climáticas".

Em Lisboa, a WWF Portugal voltou a organizar um concerto "muito bonito e diferente porque é à luz de velas, em sintonia com a causa da Hora do Planeta", realçou a coordenadora da organização internacional de defesa do ambiente.

"É uma hora para pensarmos que o planeta precisa de algum respeito, os recursos naturais são limitados e é responsabilidade de todos termos alguns comportamentos mais sustentáveis e opções mais responsáveis", insistiu.

Ângela Morgado espera um sucesso com o concerto, com bilhetes a dez euros, verba que vai financiar os projetos da WWF em Portugal, e já foram vendidos "mais de mil".

O concerto solidário à luz de velas conta com artistas como Raquel Tavares, Matias Damásio, Tiago Bettencourt, André Sardet, Tito Paris, Samuel Úria, Enoque e Janeiro.

Entre os monumentos que vão ter as luzes apagadas estão a Ponte 25 de Abril (Lisboa), Ponte da Arrábida (Porto), estação ferroviária do Rossio, Castelo de S. Jorge, Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém (Lisboa), Castelo de Abrantes, Castelo de Bragança, Moínho das Castanholas no Cadaval, Castelo de Celorico, Arco da Vila de Faro, Igreja Nossa Sra. da Conceição (Ferreira do Alentejo), muralhas do Castelo de Loulé, ou Pavilhão Macau de Loures.

O Castelo de Miranda do Corvo, o Farol da Nazaré, o Castelo de Ourém, a Igreja Matriz de Pedrogão Grande, o Castelo de Pombal, o Castelo do Sabugal, o Castelo de Santa Maria da Feira, o Palacete Barão da Trovisqueira ou a Ponte Tejo (Vila Velha Ródão) são outros exemplos de adesão à Hora do Planeta.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.