'Homo naledi' trepava às árvores, caminhava e usava ferramentas


 

Lusa/AO online   Ciência   7 de Out de 2015, 12:39

O 'Homo naledi', uma antiga espécie do género humano, ao qual pertence o Homem atual, era capaz de trepar às árvores, caminhar e usar ferramentas, uma combinação única, segundo os cientistas, revelam estudos publicados na revista Nature Communications.

 

A descoberta da antiga espécie do género 'Homo', que ainda não foi datada, foi anunciada, há cerca de um mês, na África do Sul, por uma equipa de investigadores internacionais.

Os fósseis foram encontrados numa gruta, de acesso difícil, perto de Joanesburgo, no local arqueológico conhecido como "Berço da Humanidade" e inscrito na lista do património mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Em 2013 e 2014, cientistas exumaram mais de 1.550 ossos pertencentes a pelo menos 15 hominídeos.

Agora, graças ao estudo de cerca de 150 ossos de mãos, incluindo de uma mão direita de adulto quase completa, a equipa da antropóloga Tracy Kivell, da Universidade de Kent, no Reino Unido, concluiu que o 'Homo naledi' tinha um polegar largo e robusto e um pulso semelhantes aos dos humanos modernos, que sugerem a posse da capacidade de uso de ferramentas em pedra.

Contudo, os ossos dos dedos são maiores e mais curvados, deixando antever que a nova espécie de hominídeo se socorria deles para trepar às árvores, onde passava parte do seu tempo.

"Uma combinação única que nunca foi encontrada noutro esqueleto humano", assinalou Tracy Kivell, citada pela agência AFP.

Além disso, ressalvam os cientistas, o 'Homo naledi', apesar de saber usar ferramentas, tinha um cérebro pequeno.

Dados que, para Tracy Kivell, são interessantes "para estudar os processos mentais necessários ao fabrico e à utilização de ferramentas".

Quanto aos pés, os do 'Homo naledi' são muito próximos do Homem atual, o que demonstra que a nova espécie possuía todas as características necessárias à posição de pé e à marcha.

O antropólogo William Harcourt-Smith, do Lehman College, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, e outros investigadores estudaram 107 ossos de pés, nomeadamente os de um pé direito bem conservado de um adulto.

"O pé do 'Homo naledi' é muito mais evoluído do que as outras partes do seu corpo, os seus ombros, o seu crânio e a sua bacia", indicou William Harcourd-Smith.

As particularidades dos pés desta espécie do género humano, bem como os seus longos dedos e os ombros próximos do macaco, revelam que o 'Homo naledi' era, sem dúvida, de acordo com os cientistas, bípede mas também um bom trepador.

"Esta espécie vai mudar a nossa maneira de pensar a evolução humana", sustentou William Harcourt-Smith.

A descoberta poderá, para os especialistas, fornecer mais informação sobre a transição, há cerca de dois milhões de anos, do australopiteco primitivo para o primata do género humano, o antepassado direto do Homem atual.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.