Havana e organismos norte-americanos assinam acordos na área da saúde


 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Abr de 2015, 19:04

Cuba vai fornecer vacinas terapêuticas contra o cancro para os Estados Unidos, no âmbito da assinatura de vários acordos com organismos norte-americanos na área da saúde, noticiou o diário oficial cubano Granma.

 

Os acordos foram anunciados por ocasião da visita à ilha do governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, que decorreu segunda e terça-feira.

Uma das organizações norte-americanas envolvidas foi o Instituto Roswell Park contra o Cancro de Nova Iorque que assinou um acordo com o Centro de Imunologia Molecular de Cuba.

Citada pelo jornal Granma, a diretora do Instituto Roswell Park, Candace Johnson, declarou "estar entusiasmada por levar a vacina [para os Estados Unidos] e começar a tratar de doentes, para os quais os ensaios clínicos vão começar imediatamente".

As vacinas terapêuticas contra os cancros surgem no âmbito da imunoterapia, método terapêutico que consiste em educar e estimular as defesas naturais (sistema imunológico) das pessoas com cancro, para que possam combater de forma mais eficaz a doença e eventuais metástases.

Esta vacina é o segundo medicamento cubano a entrar nos Estados Unidos, dois anos depois da entrada de outro medicamento prescrito para o tratamento dos diabetes.

Outro acordo também assinado prevê o fornecimento de aplicações informáticas norte-americanas para uma empresa farmacêutica cubana, que não foi identificada.

O protocolo com a empresa tecnológica norte-americana Infor também envolve a realização de intercâmbios "com uma universidade cubana para ações de formação com estudantes" na área das novas tecnologias.

Acompanhado por uma delegação de empresários, Andrew Cuomo foi o primeiro governador norte-americano a visitar o território cubano depois do anúncio, a 17 de dezembro de 2014, da aproximação histórica entre Washington e Havana, que não têm relações diplomáticas oficiais há mais de meio século.

Cuomo participou numa reunião entre empresários dos dois países, segundo testemunhou um jornalista da agência francesa AFP, bem como reuniu-se com o "número dois" do Governo cubano, Miguel Diaz-Canel, com a responsável cubana nas negociações de restabelecimento de relações com os Estados Unidos, Josefina Vidal, e com o ministro do Comércio externo, Rodrigo Malmierca.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.