Maior acionista da EDP enaltece estreitas relações da banca chinesa com a elétrica portuguesa

Maior acionista da EDP enaltece estreitas relações da banca chinesa com a elétrica portuguesa

 

Lusa/AO online   Internacional   5 de Dez de 2012, 07:21

O presidente da China Three Gorges, o maior acionista da EDP, enalteceu hoje as "estreitas relações" da empresa com bancos chineses, afirmando que "no futuro, em Portugal e noutras partes do mundo" a elétrica portuguesa poderá "obter ajuda financeira".

Devido à entrada da China Three Gorges (CTG) no capital da EDP, acordada há um ano, "bancos chineses têm agora estreitas relações com a EDP e já criaram um bom relacionamento", disse à agência Lusa em Pequim o presidente da empresa chinesa, Cao Guangjing.

O presidente da CTG destacou dois empréstimos acordados em agosto entre a EDP e o China Development Bank e o Bank of China, no valor de mil milhões de euros e 800 milhões de euros, respetivamente.

"No futuro, não apenas em Portugal, mas também noutras parte do mundo, poderemos obter ajuda financeira dos bancos chineses", acrescentou Cao Guangjing.

Em dezembro de 2011, a China Three Gorges ganhou um concurso internacional para a compra de 21,35 por cento do capital da EDP, tornando-se o maior acionista da elétrica portuguesa.

A empresa chinesa pagou ao Estado português 2,7 mil milhões de euros, numa das maiores aquisições feitas pela China na Europa durante os últimos anos.

Num balanço do ano, Cao Guangjing, salientou a "muito boa cooperação" entre as duas companhias e o "bom cumprimento" do acordo com a Parpublica, a empresa que gere as participações do Estado português.

"Mantivemos uma cooperação muito boa. Cumprimos todos os compromissos que constavam do acordo, o que trouxe benefícios para as duas companhias", disse.

"Ajudámos a EDP a encontrar novas fontes de financiamento e iniciamos uma cooperação a escala mundial, incluindo na Europa, América Latina e China", acrescentou.

Em declarações à agência Lusa, Cao Guangjing anunciou que técnicos da CTG e da EDP estão a ultimar os estudos sobre o investimento chinês nos parques eólicos da elétrica portuguesa, que, nos termos do contrato celebrado há um ano, deverá somar 2 mil milhões de dólares.

"É um investimento gradual e ainda este ano chegaremos a acordo sobre o primeiro passo", afirmou.

Cao Guangjing revelou ainda que partirá no 17 de dezembro para Portugal, numa viagem de uma semana para "debater o aprofundamento da cooperação" entre a China Three Gorges e a EDP e "contactos com responsáveis do governo português".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.