Guiné-Conacri encerra fronteiras com Libéria e Serra Leoa

Guiné-Conacri encerra fronteiras com Libéria e Serra Leoa

 

Lusa/AO online   Internacional   9 de Ago de 2014, 17:21

A Guiné-Conacri anunciou este sábado o encerramento das suas fronteiras com a Libéria e com a Serra Leoa, numa tentativa de evitar a propagação do vírus Ébola, que está a afetar os três países da África Ocidental.

 

"A Guiné decidiu fechar temporariamente as suas fronteiras com as vizinhas Libéria e Serra Leoa", disse o porta-voz do Governo, o ministro Albert Damantang Camara, citado pela agência France Press.

Entretanto, mais de 1.500 polícias e militares foram destacados na Serra Leoa para fazer cumprir as medidas de quarentena impostas nas zonas afetadas pela febre hemorrágica, revelou o Governo.

No total, precisou a fonte governamental, 750 pessoas, sobretudo polícias, serão colocadas em Kailahun e Kenema, duas cidades no leste do país que se encontram em estado de emergência sanitária, em vigor desde 01 de agosto.

Os restantes efetivos serão colocados em outras regiões, nomeadamente na capital Freetown, no norte do país.

A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, pediu na sexta-feira à comunidade internacional que ajude os países afetados a combater a epidemia de Ébola, a pior em quatro décadas.

Em conferência de imprensa, Chan afirmou que os países da África Ocidental mais atingidos pela epidemia - Libéria, Serra Leoa, Guiné-Conacri e Nigéria - "não têm meios para responderem sozinhos" à doença e pediu "à comunidade internacional que forneça o apoio necessário".

Desde março, a epidemia já matou 961 pessoas e infetou mais de 1.700.

O vírus do Ébola transmite-se por contacto direto com o sangue, líquidos ou tecidos de pessoas ou animais infetados.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.