Saúde

Grupo sanguíneo pode influenciar risco de problema cardíaco

Grupo sanguíneo pode influenciar risco de problema cardíaco

 

Lusa/AO online   Nacional   24 de Ago de 2012, 15:14

O grupo sanguíneo pode influenciar o risco de ter um problema cardíaco, com as pessoas do grupo AB a terem maior probabilidade de doença cardiovascular, segundo um estudo norte-americano.

Investigadores norte-americanos analisaram os dados de dois grandes estudos epidemiológicos, tendo em conta os grupos sanguíneos de 62 mil mulheres e de 27 mil homens e registaram as doenças cardiovasculares destas pessoas, com idades entre os 30 e os 75 anos, ao longo de duas décadas.

Esta análise mostrou que as pessoas do grupo 0 são as que têm menor risco de ter um problema cardiovascular. Já as do grupo menos frequente, o AB, têm um risco mais elevado.

“Os nossos resultados podem estimular futuras investigações para explorar os mecanismos concretos subjacentes aos efeitos cardiovasculares do grupo sanguíneo. Toda a gente precisa de hábitos de vida saudáveis para reduzir o risco coronário e, os que têm um grupo sanguíneo de maior risco, podem ter de prestar mais atenção à sua saúde coronária”, explicou Lu Qi, autor do estudo e professor da Universidade de Harvard, citado pelo jornal espanhol El Mundo.

O investigador considera que seria interessante estudar se pessoas com diferentes grupos sanguíneos respondem de maneira diversa a intervenções nos seus hábitos de vida, como a dieta.

Na análise, o grupo sanguíneo AB demonstrou 23% maior risco em comparação com as pessoas do grupo 0, enquanto as do grupo B apresentaram 11% e as do grupo A 5%.

O estudo, que apenas analisou pessoas de raça caucasiana, foi publicado numa revista científica da Associação Norte-Americana do Coração.

Os resultados são conhecidos na véspera da realização do Congresso Europeu de Cardiologia, que decorre entre sábado e quarta-feira, e que reunirá em Munique (Alemanha) mais de 32 mil especialistas.

Neste Congresso vai tomar posse o novo presidente da Sociedade Europeia de Cardiologia, o português Fausto Pinto, professor catedrático de cardiologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.