Grupo realiza travessia a São Miguel, a pé, em quatro dias

Grupo realiza travessia a São Miguel, a pé, em quatro dias

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Abr de 2017, 17:00

Um grupo formado na rede social Facebook, composto por cerca de 1.500 membros, vai promover uma travessia da ilha de São Miguel, de este para oeste, através de trilhos pedestres, durante quatro dias.

 

“Esta ideia já existe há muitos anos e, desta vez, vai em frente, fazendo-se a travessia da ilha de São Miguel de este para o oeste, sem paragens, apenas para pernoitar”, declarou à agência Lusa Paulo Machado, administrador do grupo.

O grupo, que existe há cinco anos, visa “fomentar o gosto pela aventura e pedestrianismo”, combater o 'stress' e o sedentarismo do dia-a-dia, bem como promover um “maior conhecimento pessoal e de locais pouco conhecidos" da ilha de São Miguel, a maior do arquipélago dos Açores.

Paulo Machado referiu que já foi realizada uma iniciativa semelhante por parte da associação ecológica Amigos dos Açores, mas os participantes iam dormitar nas suas residências e retomavam a caminhada no dia seguinte, o que não acontece com este evento, uma vez que se dorme ao relento, em sacos-cama.

O responsável pela iniciativa disse que esta caminhada de quatro dias não está vedada apenas aos elementos do grupo, estando aberta a todos os potenciais interessados.

“Pretendemos chamar a atenção para a necessidade de termos na ilha uma grande rota de um trilho com cerca de 103 quilómetros, uma vez que há cada mais procura deste tipo de produto”, afirmou Paulo Machado.

Paulo Machado explicou que esta rota poderia compreender espaços “bastante interessantes” como o Pico da Vara, Pico do Ferro, Castelo Branco, Lagoa do Fogo, Ginetes, Sete Cidades e Ferraria, localidades onde já existem alguns trilhos mas que não se encontram ligados numa única rota.

O responsável defendeu a necessidade de criar mais trilhos oficiais na ilha, tendo exemplificado que dos cerca de 20 trilhos realizados pelo grupo, em 2016, apenas cinco detinham esta classificação.

Paulo Machado afirmou que para além de dormirem ao relento, os caminhantes que aderirem à iniciativa vão fazer a sua higiene pessoal em ribeiras, fatores que admite poderem ser desmotivadores para aderir à iniciativa.

Durante os quatro dias, os participantes vão caminhar diariamente cerca de 30 quilómetros por um período de 10 horas.

O responsável recordou já ter o grupo promovido uma travessia norte-sul da ilha de São Miguel, que “não é muito extensa e se realiza apenas num dia”, sendo esta uma dimensão "completamente diferente".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.