Grandes plataformas da internet devem pagar pelo uso de dados pessoais

Grandes plataformas da internet devem pagar pelo uso de dados pessoais

 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Jan de 2018, 09:42

Os dados pessoais deveriam ser objeto de um direito de propriedade que permitisse a cada cidadão vendê-los e ser assim remunerado pelo seu uso pelas grandes plataformas da internet, defendeu na quinta-feira o grupo de reflexão Geração Livre (GénérationLibre).

O documento parte da constatação que hoje, os ‘GAFA’ (Google, Apple, Facebook, Amazon) lucram com a exploração gratuita dos dados pessoais de cada utilizador dos seus produtos ou das suas plataformas, designadamente para propor produtos aos anunciantes publicitários, noticiou hoje a agência AFP.

Uma situação que o relatório classifica como uma “pilhagem”, que “a gratuitidade dos serviços esconde”.

Em comunicado, este grupo de reflexão propõe: “Perante esta constatação, propomos, na linha dos trabalhos de Jaron Lanier, nos EUA, que cada um fique proprietário dos seus dados pessoais”.

O GénérationLibre sugere a criação de um contrato entre as plataformas e os utilizadores, que permitiria àquelas pagar a estes em troca do uso dos seus dados.

“Se eu quiser guardar os meus dados, pago o acesso à plataforma. Se quiser vender os meus dados à Facebook, serei então remunerado em função do preço de mercado”, afirmou Gaspard Koenig, o presidente do GénérationLibre, citado no comunicado.

Esta proposta insere-se na linha das feitas pelo norte-americano Jaron Lanier, compositor, ensaísta e investigador em informática.

Em diferentes obras, Lanier defende mais vigilância perante as derivas do mundo digital e faz alertas frequentes contra o aumento das desigualdades provocado, entende, pelo progresso tecnológico.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.