Graça Machel diz que problema em Moçambique não está resolvido


 

Lusa/AO online   Internacional   10 de Set de 2010, 12:29

A viúva do primeiro Presidente de Moçambique, Graça Machel, disse esta sexta-feira que o problema alimentar não termina com o recuo do governo relativamente ao aumento do preço do pão.
Graça Machel, actual mulher de Nelson Mandela e activista dos direitos das crianças e dos pobres, disse que ela e outros activistas irão pressionar o governo para aumentar a produção de alimentos.

"Estamos a pressionar para que o diálogo tenha lugar", disse.

Na semana passada, em Maputo, manifestações de protesto pelo aumento dos preços do pão, água e electricidade, degeneraram em violência provocando a morte a pelo menos 14 pessoas, segundo fontes oficiais, mas que segundo outras fontes ouvidas pela Lusa totalizam 18.

Esta semana, na sequência dos confrontos, o Governo anunciou que vai subsidiar o pão, e outros bens essenciais e cortar custos na administração pública.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.