Governo são-tomense prepara anuário para facilitar investimento direto estrangeiro

Governo são-tomense prepara anuário para facilitar investimento direto estrangeiro

 

Lusa/AO Online   Economia   11 de Jan de 2015, 11:14

O Governo são-tomense vai elaborar um anuário sobre as oportunidades de investimento estrangeiro em São Tomé e Príncipe, disse a jornalistas o ministro economia e cooperação internacional, Agostinho Fernandes.

O documento, segundo o governante, "serve para Identificar as áreas concretas de investimento", particularmente nas áreas turísticas, agricultura e das pescas.

O ministro tem acompanhado o chefe do Governo e outros colegas do executivo na Governo na auscultação da população para elaboração do “orçamento do cidadão” e que visa recolher contributos da população para o orçamento do Estado deste ano.

"Além da aposta no fomento do setor privado nacional, nós queremos atrair investimento direto estrangeiro. Nós queremos saber o que é que os investidores podem fazer em São Tomé e Príncipe em concreto", disse o ministro.

Não queremos apenas dizer ao investidor que há oportunidades no domínio das pescas, da agricultura ou do turismo. Queremos dizer exatamente o que é que o investidor pode fazer, onde e com quem", acrescentou Agostinho Fernandes, a margem de um encontro com a população.

Em 2008, o país já dispunha de um guia do investidor, elaborado com o apoio da Universidade de Colúmbia.

"A realidade é que de 2008 até agora, o investimento estrangeiro continua a ser muito baixo em São Tomé e Príncipe e consequentemente continuamos com o problema crescente de desemprego", sublinhou Agostinho Fernandes.

"Se fizermos um apanhado dos investimentos estrangeiros no nosso país, constatamos que não ultrapassa uma dezena", lamentou o governante.

O Governo são-tomense considera o investimento privado no seu "continua a ser bastante diminuto", e pretende, por isso criar as condições "para que um investidor estrangeiro não tenha dificuldade em escolher áreas em que pretende investir no país".

O ministro anunciou que brevemente o Governo vai reunir na capital são-tomense os parceiros de cooperação do arquipélago e considera ser a oportunidade ideal para atrair investimento de empresas privadas estrageiras para São Tomé e Príncipe.

"Vamos receber brevemente os nossos parceiros de desenvolvimento com os quais nós vamos abordar a questão das parcerias que temos e uma das questões importante para nós é poder informar esses parceiros sobre o que existe concretamente em São Tomé e Príncipe para que as suas empresas entrem e investam no país", sublinhou Agostinho Fernandes.

"Obviamente que o espaço temporal que nós temos (até à realização da reunião com os parceiros) não nos permitirá nessa data ter o documento acabado, mas entendemos que é necessário quanto antes lançar esse desafio", explicou.

A ideia da produção desse anuário já tinha sido divulgada na quinta-feira num coloquio que reuniu os presidentes das camaras municipais, representantes do governo regional e responsáveis da administração pública são-tomense.

Na altura, o ministro sublinhou a importância do poder local e regional na elaboração do referido documento, como forma de se evitar conflitos de interesses.

"Esse anuário tem o objetivo de todos nós, a nível da administração, do poder local, podermos falar uma mesma linguagem", concluiu.

O guia de investimento direto estrangeiro em São Tomé e Príncipe vai ser produzido em brochuras, distribuído pelas embaixadas e representações diplomáticas do país em vários países e colocado também na internet.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.