Governo Regional garante reposição dos direitos trabalhadores da elétrica açoriana

Governo Regional garante reposição dos direitos trabalhadores da elétrica açoriana

 

Lusa/AO Online   Regional   6 de Mar de 2017, 10:49

O presidente do Governo dos Açores garantiu hoje à comissão de trabalhadores da Eletricidade dos Açores (EDA) que será aplicada "exatamente a mesma solução que consta do Orçamento de Estado em termos de reposição de direitos".

“Tive oportunidade de transmitir que da parte do Governo Regional não houve nem há qualquer diferença de entendimento hoje relativamente àquilo que houve no passado. Ou seja, teremos exatamente a mesma solução que consta do Orçamento do Estado em termos de reposição de direitos, em termos daquilo que tem a ver com as próprias questões relativas a um conjunto de componentes da remuneração e do rendimento desses trabalhadores da EDA”, afirmou Vasco Cordeiro.

O chefe do executivo açoriano falava aos jornalistas após ter recebido em audiência a comissão de trabalhadores da EDA, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

Vasco Cordeiro declarou que as dúvidas suscitadas pela comissão de trabalhadores são quanto à aplicabilidade no Orçamento regional de soluções que já estão consagradas no Orçamento do Estado, pelo que o executivo toma a iniciativa de junto do grupo parlamentar que o suporta clarificar essa situação.

O governante sublinhou ainda "uma comunhão de entendimento" com a comissão de trabalhadores da EDA.

Já o presidente da comissão, António Melo, disse ter saído da audiência com o “compromisso” de que o assunto será tratado na Assembleia Legislativa Regional, salientando que a reunião com o chefe do executivo açoriano foi "muito profícua".

“Estamos satisfeitos. Com base nisto estão reunidas as condições para que esta marcha [agendada para a próxima segunda-feira] seja cancelada”, referiu, afirmando que a comissão de trabalhadores da EDA vai "aguardar serenamente por aquilo que vai ser o trabalho na Assembleia Legislativa Regional dos Açores".

A 22 de fevereiro, os trabalhadores da EDA admitiram recorrer a formas de luta por considerarem que as propostas de Plano e Orçamento dos Açores para 2017 não refletem a reposição de direitos do setor público empresarial.

Em plenário realizado a semana passada, a maioria dos trabalhadores aprovou a realização na segunda-feira de uma marcha à sede da presidência do Governo Regional, o Palácio de Santana, para entregar uma carta a reivindicar a reposição de direitos adquiridos.

O Orçamento do Estado contempla, em termos de direitos adquiridos pelos trabalhadores do setor público empresarial, que estes serão repostos em 50% em julho de 2017 e os restantes 50% a 01 de janeiro de 2018, o que ocorrerá sem efeitos retroativos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.