PEC

Governo nega existência de divergências em Conselho de Ministros


 

Lusa/AO online   Economia   19 de Mar de 2010, 11:24

O ministro dos Assuntos Parlamentares defendeu esta sexta-feira que o Governo está unido em torno do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) e considerou sem fundamento as notícias de que Vieira da Silva divergiu do documento.
Jorge Lacão falava aos jornalistas na Assembleia da República em reacção à notícia avançada pela TVI, na quinta-feira à noite, segundo a qual, em Conselho de Ministros, o titular da pasta da Economia, Vieira da Silva, levantou reservas ao congelamento das prestações sociais previstas pelo PEC - posição em que terá sido acompanhado por outros ministros, casos de Alberto Martins e Ana Jorge.

"Tudo aquilo que surgiu como especulação - sem qualquer fonte identificadora que possa assumir a responsabilidade por esse tipo de afirmações - não tem fundamento, porque a regularidade, a normalidade e a coesão do Conselho de Ministros é a mesma que sempre foi. Pela sua enorme importância, outra coisa não seria de esperar que o PEC não fosse um documento para o qual todos os ministros concorreram activamente no seu processo de preparação", respondeu Jorge Lacão.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.