Governo grego disponível para cooperar com os parceiros e tentar chegar a acordo

Governo grego disponível para cooperar com os parceiros e tentar chegar a acordo

 

AOnline/LUSA   Internacional   5 de Jul de 2015, 21:07

O ministro das Finanças da Grécia afirmou hoje que, com o 'não' no referendo, o Governo quer ter, a partir de segunda-feira, uma atitude de colaboração para com os credores a fim de conseguir um acordo.

“A partir de amanhã [segunda-feira] vamos colaborar com o Banco Central Europeu, que manteve uma posição neutra na semana passada, e teremos uma atitude positiva para com a Comissão Europeia”, disse Yanis Varoufakis em conferência de imprensa.

Varoufakis defendeu que o “‘não’ de hoje é um ‘não’ à austeridade, um regresso aos valores da Europa”.

“O ‘não’ é um grande ‘sim’ à Europa democrática”, afirmou o ministro das Finanças, para enfatizar que o resultado de hoje é “uma grande ferramenta de colaboração com os parceiros”.

Apesar do tom conciliador, Varoufakis reafirmou as críticas aos credores ao salientar que “durante cinco meses rejeitaram qualquer discussão sobre a autoridade e a divida”.

“A 25 de janeiro [dia das eleições gerais] o povo disse ‘já chega’ a cinco anos de hipocrisia, a cinco anos de novos empréstimos para encobrir o fracasso do Estado. Durante cinco meses tentámos negociar para explicar isto: não há mais empréstimos, mas sim a restruturação dos antigos”, disse.

Varoufakis foi mais longe, ao assegurar que “desde o primeiro momento os credores tentaram encerrar os bancos” e “obrigar” a Grécia “a pedir perdão por termos criticado os programas fracassados”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.