Governo dos Açores vai criar unidade de diálise na ilha do Pico

Governo dos Açores vai criar unidade de diálise na ilha do Pico

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Mai de 2016, 19:56

O Governo dos Açores anunciou hoje que vai ser criada uma unidade de diálise na ilha do Pico, investimento que evita a deslocação dos doentes ao hospital da Horta, no Faial.

A deliberação consta no comunicado do Conselho do Governo, que se reuniu na quinta-feira no Pico.

O documento foi hoje apresentado pela secretária regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Isabel Rodrigues, nos Paços do Concelho de São Roque do Pico.

Segundo o comunicado, o Governo Regional, presidido por Vasco Cordeiro, determinou “incumbir o hospital da Horta de criar uma unidade de diálise no Pico” que “vai evitar a deslocação dos utentes com necessidade de fazer diálise” àquele estabelecimento hospitalar.

O objetivo é garantir aos doentes “a prestação deste tratamento em condições de maior proximidade” e permitir um “tratamento mais perto dos seus lares e das suas famílias”, salientou Isabel Rodrigues.

Ainda na área da saúde, o Governo Regional autorizou a remodelação do Centro de Saúde das Lajes do Pico, obra de 750 mil euros, enquanto na área social se destaca a celebração de um contrato de cooperação com a Misericórdia da Madalena que prevê uma comparticipação até 1,5 milhões de euros para financiar a construção do centro de apoio ao idoso.

O executivo incumbiu, por outro lado, a Sociedade de Promoção e Reabilitação de Habitação e Infraestruturas de celebrar com a Câmara de São Roque do Pico “um contrato para a cedência em regime de comodato de um imóvel” destinado à criação de uma incubadora de empresas, visando “contribuir para o fomento do desenvolvimento económico do concelho” e “estimular a criação de emprego jovem”.

Para o Pico, o Conselho do Governo deliberou, igualmente, um conjunto de outros investimentos, na área das acessibilidades, orla costeira ou das pescas.

Para esta última atividade está prevista a requalificação do entreposto frigorífico da Madalena.

O executivo açoriano vai avançar com a manutenção e limpeza de 200 quilómetros de caminhos rurais e florestais do Pico, medida que visa “facilitar o acesso às explorações agropecuárias”, e a partir de junho vai encetar “um programa de monitorização permanente da qualidade da água das lagoas da ilha”.

“Para além da monitorização das massas de água relevantes da Região Hidrográfica dos Açores, ao abrigo da Diretiva Quadro da Água, a Direção Regional do Ambiente, através do seu laboratório, passará a efetuar amostragens físico-químicas nas lagoas da ilha do Pico com a finalidade de avaliar o estado destas massas de água e classificar o seu estado trófico”, refere o comunicado.

O Governo dos Açores terminou hoje a visita estatutária ao Pico, a segunda maior ilha do arquipélago e onde se situam o ponto mais alto de Portugal, com 2.351 metros de altitude, e uma paisagem de cultura da vinha classificada como Património Mundial.

A deslocação foi a última desta legislatura e cumpre o Estatuto Político-Administrativo da região, segundo o qual o executivo regional deve visitar cada uma das ilhas do arquipélago pelo menos uma vez por ano.

O estatuto determina também que o Conselho do Governo se reúna na ilha visitada.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.