Governo dos Açores nega "estrangulamento" nas viagens aéreas para o Faial

Governo dos Açores nega "estrangulamento" nas viagens aéreas para o Faial

 

Lusa/AO online   Regional   21 de Mar de 2018, 11:40

O governo açoriano sustenta que a operação da SATA para o Faial tem uma "oferta superior à utilização" de lugares em 2017, mas hoje o parlamento regional recebe à porta uma manifestação contra a redução de voos da transportadora.

Depois de um encontro com o autarca da Câmara da Horta, a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, sublinhou na terça-feira que a operação planeada para o período de verão IATA (entre fim de março e fim de outubro) se baseou, “de uma forma racional e como é princípio de boa gestão", nos lugares ocupados em igual período em 2017.

"Não há aqui qualquer estrangulamento nas acessibilidades à ilha, muito pelo contrário, a oferta é superior à utilização do ano anterior, para homólogos períodos e, portanto, tem ainda, para além disso, margem para acomodação de um crescimento que se quer e que é o que é saudável para esta ilha e para a nossa região", vincou a governante.

Em julho e agosto, admitiu, não haverá um aumento de voos, justificado com o facto de nesse período, no ano passado, ter havido quebra de utilização (-4%), "o que representa cerca de 4.600 lugares não utilizados". Além disso, houve uma "percentagem significativa de voos que ficaram com uma taxa de ocupação muito abaixo dos 60%".

Para hoje à tarde está marcada em frente à Assembleia Legislativa Regional dos Açores, na Horta, uma manifestação contra a programação da SATA para os próximos meses no que refere a voos para o Faial.

"A informação que temos neste momento, que está na página da SATA, é que há uma redução de três voos regionais inter-ilhas e o que está a apresentar-se para o verão são nove voos Lisboa-Horta-Lisboa. Portanto, há uma redução em relação a 2017 de mais de 11 mil lugares", quase 12 mil, avançou recentemente o faialense Dejalme Vargas à agência Lusa.

A Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH) também já exigiu que o Governo dos Açores e a SATA garantam um aumento do número de voos e de lugares, nos horários de verão, para a ilha do Faial.

"A Câmara do Comércio vai exigir ao Governo [Regional] e ao poder político que haja uma adequação da oferta à procura que existe neste momento para o destino das ilhas do Triângulo [Faial, Pico e São Jorge] e também das ilhas das Flores e do Corvo", anunciou também recentemente Francisco José Rosa, membro da direção da CCIH, em conferência de imprensa.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.